Corretora de imóveis teria conseguido visto de Olavo de Carvalho

A brasileira Helena Oliveira é corretora de imóveis e advogada

Por: Redação | Comunicar erro
Helena Oliveira

Pelo menos uma pessoa sabe quais foram os documentos apresentados por Olavo de Carvalho, guru de Olavo de Carvalho, para ganhar um visto americano oferecido pelas pessoas com “extraordinárias habilidades”: a advogada brasileira Helena de Oliveira.
Ela desligou o telefone seguidas vezes depois de indagada sobre o visto do filósofo.

Olavo de Carvalho se recusa, até o momento, a mostrar os documentos.
A questão, porém, é quais documentos foram mostrados: afinal, Olavo de Carvalho aparentemente não preenche os requisitos para obter esse visto
Ele foi no Brasil, durante muito tempo, astrólogo profissional, não tem curso superior nem obra reconhecida no Exterior.
Olavo de Carvalho chegou a se apresentar em seu currículo americano como ex-professor de pós-graduação da PUC do Paraná, embora não tenha diploma nem de ensino médio.
Qualquer informação errada fornecida ao governo americano é considerada legalmente uma fraude.
Helena Nacer Oliveira trabalha numa empresa de corretagem de imóveis na Florida.
“Eu tenho provido serviços profissionais em Boca Raton, Delray Beach, Boynton Beach, Fort Lauderdale e Miami por muitos anos de sucesso e continuarei trabalhando aqui por muitos anos futuros. Meu sucesso e a segurança no que faço advem de muitos anos de experiencia de trabalho provendo serviços para clientes maravilhosos que considero muito, e são meus clientes que me recomendam para outros. O boca-a-boca é minha única propaganda.
Eu trabalho com compradores, vendedores, investidores, inquilinos e locadores em diversos niveis de preços, dos mais simples aos mais altos, para:Casas para familias; Apartamentos;Sobrados;Terrenos; gerenciamento de Construçõese Reformas;
No seu perfil do Linkedin, ela apresenta seus serviços de advogacia.

Esse documento abaixo mostra que Adonis Batista, supostamente ligado ao Banco Mercantil na Flórida, patrocinou o pedido de visto a Olavo de Carvalho na categoria “Habilidades Extarordinárias”.

No documento, quem solicita é Adonis Baptista. Segundo o linkedin, Adonis teria ligações com o Banco Mercantil na Florida.

Nas redes sociais,  Adonis afirma que o visto teria sido obtido graças à sua esposa, Helena Oliveira

Olavo de Carvalho teve no Brasil, durante muito tempo, a profissão de astrólogo, não tem curso superior nem obra reconhecida no Exterior.
A questão, segundo os advogados, é saber quais os documentos que o filósofo apresentou para o governo e se são corretos.

Ensaio fotográfico de Melania ( esq).

Esse tipo de visto gerou  polêmica com Melania, mulher de Trump, que só tinha como vida profissional a condição de modelo. Ela entrou no pais com visto de turista, trabalho como modelo e, depois de casar com o atual presidente, ganhou o “genius visa”. É um assunto abordado exaustivamente na imprensa americana, como The New York Times

Melania Trump quando modelo

Segundo advogados americanos, se foram apresentados documentos errados para justificar o pedido tanto Adonis como Olavo de Carvalho correm o risco de serem deportados.

Até esse momento, Adonias não respondeu as mensagens enviadas. Olavo de Carvalho de recusa a dar informações.

O que se sabe é que, por muito tempo, Olavo de Carvalho vivia nos Estados Unidos, em 2005 com o visto de jornalista.

O filósofo se orgulhava, em 16 de maio de 2018,  de seu visto de “special abilities”.  A categoria se chama, na verdade, “extraodinary ability”.

Um post dele informa seu visto encerraria em 2016.

Nos Estados Unidos, Olavo de Carvalho criou e presidiu admite a  “Inter-American Institute of Philosophy” – o que, segundo mostram documento, estava habilitado a ser empregador.

O filósofo Olavo de Carvalho, guru de Jair Bolsonaro, criou e presidiu nos Estados Unidos uma entidade chamada “Inter-American Institute For Philosophy”.
Mas a entidade, na qual ele se apresenta como ex-professor de filosofia da “Universidade Católica do Paraná” – provavelmente o que seria a PUC – desapareceu. O site da entidade dá agora apenas dicas de alimentação saudável, exercícios e perda de peso.

Fazendo uma pesquisa, é possível encontrar o site antigo.
A missão do instituto seria, entre outras coisas, promover a melhor do ensino de filosofia.

O instituto tinha um board aparentemente respeitável, com nomes da vida acadêmica americana.

A entidade estava inclusive, na condição de empregador, a ajuda a tirar vistos de trabalho para estrangeiros.

Mas ele reclamava as limitações para empregar pessoas.

Um board desse nível servia como vitrine para captação de dinheiro com o objetivo de unir e conectar líderes e intelectuais conservadores das Américas. Era uma versão à direita do “Foro São Paulo “- a reunião de partidos, intelectuais e governantes de esquerda da América Latina. Uma das grandes obsessões do filósofo era atacar esse grupo, que comandaria a revolução comunista na América Latina.

Por que uma entidade com um board desse nível, cuja missão é fazer altas pesquisas de filosofia, vira um site de auto-ajuda em qualidade de vida, sem nenhuma referência sobre seus responsáveis?

Uma possível explicação é dada por Heloísa Carvalho, filha de Olavo de Carvalho. Ambos são brigados – o pai chegou a processá-la.
Segundo Heloísa, o desaparecimento da entidade seria por  denúncias feitas do ex-alunos de Olavo ao board da entidade.
As denúncias seriam de que ele não tem curso superior, sua atividade profissional no Brasil foi por muito tempo astrólogo, além de seu envolvimento com seitas místicas islâmicas.
Um dossiê, segundo ela, foi entregue com documentos.

O que se pode comprar, porém, são as postagens de um ex-colaborador de Olavo Carvalho chamado Júlio Severo, que alega ter feito informes nos Estados Unidos sobre o filósofo.

Severo traduziu para o inglês frases polêmicas de Carvalho sobre religião.

Se esse documento foi o responsável pelo desaparecimento do instituto ainda não se sabe. Mas desapareceu – mas deixou rastro.
Para obter um visto permanente americano chamado “genius visa” ele teria de provar ao governo não apenas o que eles classificam como “habilidades extraordinárias”, mas que essas habilidades ajudariam o pais.
Essa seria uma das motivações para a criação do Instituto, criador em 2009 nos Estados Unidos.

Ele se apresentava como ex-professor da PUC do Paraná, apesar de não ter nem mesmo diploma de ensino médio.

Ele informa num de seus perfis que, entre 2002 e 2005, ter sido “senior lecturer”, o que não corresponde ao que ele afirma no currículo americano.

Entenda o que é um “senior lecturer”

O que ele tem mostrado em várias de suas postagens é desprezo pelo ensino superior no Brasil.

Compartilhe:

Tags: #News
1 / 8
1
06:25
VazaJato: Moro chama integrantes do MBL de tontos e depois se desculpa
Em áudio publicado pelo perfil do Movimento Brasil Livre no Instagram o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, …
2
02:42
STF adia julgamento que pode tirar Lula da cadeia
O Supremo Tribunal Federal (STF) resolveu adiar o julgamento do pedido de liberdade do ex-presidente Lula, que estava previsto para …
3
02:20
Novas regras para o uso de patinetes elétricas em SP
A prefeitura de São Paulo definiu novas regras para o uso de patinetes elétricas compartilhadas na cidade. Entre as  determinações …
4
08:30
Intercept: os principais pontos do depoimento de Moro no Senado
O ministro da Justiça, Sergio Moro, prestou esclarecimentos em audiência na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça do Senado) sobre …
5
04:04
E se Carlos Bolsonaro fosse gay?
O ex-deputado Jean Wyllys fez uma série de posts em sua rede social apontando que Carlos Bolsonaro, o filho 02 …
6
03:02
Empresas usaram disparos no WhatsApp durante eleição de Bolsonaro
Uma reportagem publicada pela Folha de S. Paulo mostra que empresas brasileiras contrataram uma agência de marketing na Espanha para …
7
01:49
Senado diz não e derruba o decreto de armas de Bolsonaro
O Senado votou na terça-feira, 18, o parecer que pede pela suspensão dos decretos que flexibilizam o porte e a …
8
03:54
Bancada do PSL passa vergonha ao convocar e desconvocar Glen Greenwald
O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) apresentou na quarta-feira, dia 12, um requerimento na Comissão de Segurança Pública da Câmara …