Cremação de cachorro morto no Carrefour prejudica investigação

Relatos apontam que um funcionário da empresa agrediu o cachorro de forma brutal

Por: ANDA - Agência de Notícias de Direitos Animais | Comunicar erro
Cachorro morto no Carrefour
Crédito: Reprodução / FacebookO caso gerou revolta nas redes sociais

A Polícia Civil abriu um inquérito para apurar as circunstâncias da morte de um cachorro no Carrefour de Osasco (SP). O corpo do cão ter sido cremado, no entanto, está prejudicando a investigação sobre o caso. Relatos apontam que um funcionário da empresa, da área de segurança, agrediu o cachorro de forma brutal após receber orientação para que o animal fosse retirado do local. Há, também, a suspeita de que ele tenha sido envenenado.

Havia uma expectativa de que um laudo determinasse a causa da morte do animal. No entanto, devido à cremação do corpo, tornou-se difícil comprovar se o cão sofreu agressões ou foi envenenado. O responsável por cremar o cachorro foi o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) do município, que alega ter tomado tal providência por não ter, no momento do resgate do animal, informações sobre os maus-tratos, mas apenas a versão de que o cão havia sido atropelado. As informações são do blog Bom Pra Cachorro, da Folha de S. Paulo.

O cachorro foi levado, na última quinta-feira, 29, ainda com vida, pelos funcionários do CCZ, mas não resistiu. Relatórios sobre o atendimento do animal apontam sinais de envenenamento, segundo o delegado Bruno Lima, eleito deputado estadual pelo PSL, e que está acompanhando a investigação sobre o caso.

Confira o final desta história e outras notícias inspiradoras sobre animais na ANDA (Agência de Notícias de Direitos Animais).

Compartilhe:

Autor: ANDA - Agência de Notícias de Direitos Animais

O maior portal de notícias sobre animais do Mundo.