Detentos nos EUA adestram cães que seriam sacrificados por comportamento violento

Programa teve início em presídio no Condado de Gwinnett, na Geórgia

Por: Redação
 

Um programa no Condado de Gwinnett, no estado norte-americano da Geórgia, está transformando detentos em adestradores de cães. A parte mais exemplar do projeto é que os animais escolhidos para receber o treinamento são justamente os que seriam sacrificados por apresentar comportamento violento.

Iniciado em 2010 no presídio de Gwinnett com apenas 5 cachorros, o programa batizado de Jail Dogs já adestrou mais de 200 cães desde o seu início e permitiu que eles pudessem ser encaminhados para adoção e ganhar novos lares.

Pensado para funcionar como um programa de mão dupla, o Jail Dogs além de ajudar animais a ganhar um novo lar também permite aos detentos aprenderem uma nova profissão. Outro fator importante do projeto é que ele deixa que os presidiários cuidem de alguém, além de si mesmos, gerando um sentimento de ter feito a diferença positivamente na vida dos animais.

O funcionamento do Jail Dogs é muito simples: cada animal passa 12 semanas no presídio, onde recebe treinamento e cuidados como higiene e alimentação de um preso responsável. Três vezes por semana um adestrador visita o detendo e seu cão, onde ensina detalhes de como treiná-lo. Ou seja, ele pode ser replicável em qualquer lugar, desde que haja força de vontade e interesse dos envolvidos.

(via The Greenest Post)

Compartilhe: