Dicionário feminista explica termos mais usados no movimento

Por: Catraca Livre

Muitas meninas que querem conhecer o feminismo se deparam com ‘palavrões’ e acabam se assustando e achando que a luta não é para elas. Por isso, o Eu, tu, elas criou um dicionário simples e colaborativo com os jargões mais usados na militância. A ideia é que as leitoras vão, aos poucos, alimentando e corrigindo a lista de palavras para que todas possam aprender juntas sobre a militância.

Confira o dicionário na íntegra aqui!

ilustração: Helô D'Angelo
ilustração: Helô D’Angelo

Confira alguns dos verbetes:

A

Auto organização
No feminismo, a auto organização se refere a um grupo ou a uma reunião composta apenas por mulheres. Esses espaços auto organizados são importantes para que as mulheres tenham lugares seguros para dividir umas com as outras coisas que, perto de homens, jamais se sentiriam à vontade para tratar – esses assuntos vão desde menstruação e ciclo hormonal até experiências de estupro e abortos.

Apropriação cultural
Dizemos que acontece ‘apropriação cultural’ quando uma cultura opressora (como os brancos) usa coisas de uma cultura oprimida (como os negros). Por exemplo: pessoas brancas usando turbantes e tranças. Esses elementos culturais são formas de resistência, e não acessórios de moda.

B

Bropriating
Acontece quando um homem ganha crédito por uma ideia que originalmente era de uma mulher.

C

Culpabilização
Ser mulher em uma sociedade machista é sentir culpa por tudo: por não querer transar, por não estar arrumada, por ter sido estuprada, por estar em um relacionamento abusivo. A culpabilização é o processo de ser culpada por todas essas coisas (e por muitas outras). Por exemplo: se uma mulher é estuprada e dizem que ela ‘estava pedindo’, dizemos que a vítima foi culpabilizada.

Compartilhe: