Djamila Ribeiro é atacada no Twitter após comparar Palestina ao Brasil

Filósofa fez reflexão sobre a violência racial no Brasil em publicação que envolveu os músicos Roger Waters e Milton Nascimento

Djamila Ribeiro não tem papas na língua quando o assunto é racismo. A escritora e filósofa paulista, de 38 anos, fez duas publicações em sua conta no Instagram que a fizeram figurar os trending topics do Twitter como um dos assuntos mais comentados do Brasil na manhã desta terça-feira, 2.

Na primeira, Djamila fez uma reflexão sobre uma fala controversa do músico Roger Waters, um dos fundadores da lendária banda Pink Floyd. O britânico teria escrito uma carta a Milton Nascimento, pedindo que o cantor brasileiro cancelasse seu show em Israel, devido ao conflito histórico entre o país e a Palestina.

Em resposta, Djamila cutucou o ex-Pink Floyd em post no Instagram: “Por que Roger Waters não boicotou o Brasil? Aqui, também vivemos em guerra”.

Crédito: Reprodução/Instagram/@djamilaribeiro1
Djamila Ribeiro faz reflexão sobre violência policial contra negros e é atacada no Twitter

Em seu texto, a filósofa afirmou que entende o pedido do músico, mas não entende o tom agressivo e “arrogante”. Ainda, Djamila apontou uma incoerência no discurso de Waters.

“O que não entendi foi Waters cobrar coerência de Milton e ter vindo cantar no Maracanã no ano passado, com ingressos caríssimos. Num estado em que há favelas militarizadas, onde tanques de guerra passam por vielas, em que a população negra morre cotidianamente vítima de uma polícia assassina.”, escreveu.

Uma matéria de 2017 da revista Veja mostra que o Brasil registra quase 3 vezes mais assassinatos por dia do que o conflito entre Israel e Palestina.

Djamila ainda cobrou coerência de Waters, e disse que “não dá pra pagar de militudo”. “Vivemos em um Estado autoritário e estamos em guerra faz tempo, uma guerra contra as populações negras, indígenas e periféricas.
Por que Roger não boicotou o Brasil em respeito à população negra que é exterminada cotidianamente?”, refletiu.

Após a publicação, Djamila virou alvo de severos ataques nas redes sociais, e buscou responder a algum deles.

No segundo post, feito 12 horas após a polêmica envolvendo Roger Water, Djamila desabafou, e chamou os internautas que a criticaram de “desonestos num nível impressionante”.

A escritora refletiu sobre a violência racial no Brasil, e endossou seus argumentos a favor da Palestina e contra Israel. Leia: