Dois hospitais se negam a fazer aborto de vítima de estupro

Mulher foi orientada a manter a gravidez após pedir ajuda no Pérola Byington

Por: Redação Comunicar erro

Uma mulher, que teve sua identidade preservada, relatou um drama que sofreu ao tentar fazer um aborto após sofrer um estupro e ser rejeitada por dois hospitais, entre eles o Pérola Byington, referência nacional no atendimento à mulher.

Mãe de dois meninos, de 2 e 8 anos, a moça foi vítima de abuso sexual dentro do bar que mantinha em São Paulo (SP), e ao descobrir que estava na 19ª semana de gestação, procurou ajuda profissional e foi orientada a não interromper a gravidez.

Segundo Datafolha, 4 em cada 10 brasileiros apoiam a proibição total do aborto no Brasil
Crédito: IstockSegundo Datafolha, 4 em cada 10 brasileiros apoiam a proibição total do aborto no Brasil

“Passei por uma psicóloga e uma assistente social. Contei, de novo, minha história. Quando cheguei na ginecologista, ela tentou me convencer a ter a criança e doar para uma família. Ou tê-la em outro Estado”, declarou ao site “Universa”, do “Uol”. “[…] Por último, ela disse que eu já estava com 20 semanas de gestação, e não poderia. Minha vontade era de me matar”, completou.

Contudo, a tal profissional passou informação errada, pois a vítima estava com 19 semanas e cinco dias e a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que limita o ingresso para atendimento ao aborto previsto em lei com 20 semanas ou com peso fetal menor que 500 gramas – fato que se encaixava com o perfil da gestante.

Depois deste episódio, ela foi encaminhada para o Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos, onde teve seu direito negado mais uma vez.

Já no terceiro hospital, que pertence ao município e teve seu nome preservado, a equipe médica constatou que a idade gestacional da vítima ainda estava no limite permitido por lei e ela conseguiu, finalmente, fazer o aborto.

Enquanto isso, a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Saúde deu duas versões para o caso. Uma equivocada, dizendo que o aborto é feito até a 12ª semana de gestação. Porém, disseram depois que a vítima foi avisada dos riscos que correria e que a criança já pesava quase 500g – o que também não era verdade.

Por fim, eles ainda negaram que a ginecologista do Pérola Byington tenha tentado convencer a paciente a manter a gestação.

Confira a matéria completa no link.

1 / 8
1
08:59
Lobão analisa a relação de Bolsonaro com seus filhos
Um dos poucos nomes do meio artístico a apoiar a eleição de Jair Bolsonaro (PSL), o músico Lobão revelou recentemente …
2
08:31
Lobão explica como funciona a mente de Olavo de Carvalho
Em entrevista ao vivo no estúdio da Catraca Livre para o jornalista Gilberto Dimenstein, o cantor Lobão, ex-afeto de Olavo …
3
03:39
Alter do Chão sofre com incêndio de grandes proporções
As chamas que consomem uma área de preservação ambiental de Alter do Chão, em Santarém, no Pará, voltaram a se …
4
09:33
Glenn Greenwald: Os limites do jornalismo no governo Bolsonaro
Em entrevista a Gilberto Dimenstein, da Catraca Livre, Glenn Greenwald, fundador do The Intercept Brasil, site responsável pela série de …
5
03:50
Clã Bolsonaro nomeou familiares para cargos de confiança
Uma reportagem publicada pela revista Época mostra que 17 familiares de Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro,  foram …
6
10:59
David Miranda x Coaf: Glenn Greenwald fala sobre a investigação
Uma matéria publicada pelo jornal O Globo deu destaque para um relatório do Coaf, em que o deputado federal David …
7
05:12
Glenn Greenwald fala qual foi a matéria mais importante da #VazaJato
Qual foi a matéria mais importante da #VazaJato até agora? Quem responde essa pergunta é o jornalista Glenn Greenwald, do …
8
04:32
É possível apoiar a #VazaJato ao mesmo tempo que a Operação Lava Jato?
O jornalista Glenn Greenwald, fundador do site The Intercept Brasil, deu uma longa entrevista ao jornalista Gilberto Dimenstein sobre a …