Dois hospitais se negam a fazer aborto de vítima de estupro

Mulher foi orientada a manter a gravidez após pedir ajuda no Pérola Byington

Por: Redação | Comunicar erro

Uma mulher, que teve sua identidade preservada, relatou um drama que sofreu ao tentar fazer um aborto após sofrer um estupro e ser rejeitada por dois hospitais, entre eles o Pérola Byington, referência nacional no atendimento à mulher.

Mãe de dois meninos, de 2 e 8 anos, a moça foi vítima de abuso sexual dentro do bar que mantinha em São Paulo (SP), e ao descobrir que estava na 19ª semana de gestação, procurou ajuda profissional e foi orientada a não interromper a gravidez.

Segundo Datafolha, 4 em cada 10 brasileiros apoiam a proibição total do aborto no Brasil
Crédito: IstockSegundo Datafolha, 4 em cada 10 brasileiros apoiam a proibição total do aborto no Brasil

“Passei por uma psicóloga e uma assistente social. Contei, de novo, minha história. Quando cheguei na ginecologista, ela tentou me convencer a ter a criança e doar para uma família. Ou tê-la em outro Estado”, declarou ao site “Universa”, do “Uol”. “[…] Por último, ela disse que eu já estava com 20 semanas de gestação, e não poderia. Minha vontade era de me matar”, completou.

Contudo, a tal profissional passou informação errada, pois a vítima estava com 19 semanas e cinco dias e a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que limita o ingresso para atendimento ao aborto previsto em lei com 20 semanas ou com peso fetal menor que 500 gramas – fato que se encaixava com o perfil da gestante.

Depois deste episódio, ela foi encaminhada para o Hospital Regional de Ferraz de Vasconcelos, onde teve seu direito negado mais uma vez.

Já no terceiro hospital, que pertence ao município e teve seu nome preservado, a equipe médica constatou que a idade gestacional da vítima ainda estava no limite permitido por lei e ela conseguiu, finalmente, fazer o aborto.

Enquanto isso, a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Saúde deu duas versões para o caso. Uma equivocada, dizendo que o aborto é feito até a 12ª semana de gestação. Porém, disseram depois que a vítima foi avisada dos riscos que correria e que a criança já pesava quase 500g – o que também não era verdade.

Por fim, eles ainda negaram que a ginecologista do Pérola Byington tenha tentado convencer a paciente a manter a gestação.

Confira a matéria completa no link.

Compartilhe:

1 / 8
1
04:56
Maconha e nudez usadas no WhatsApp contra universidades
Entenda como o pensamento de Olavo de Carvalho, guru de Jair Bolsonaro, impactou e instaurou uma crise generalizada em uma …
2
03:22
Teoria da conspiração associa facada em Bolsonaro ao filho Carlos
Teorias conspiratórias são, por definição, baseadas na irrealidade. Em alguns casos, em loucura. Mas uma em especial tem ganhado destaque …
3
04:04
Justiça quebra sigilo bancário de Flávio Bolsonaro e Queiroz
As acusações envolvendo esquemas de corrupção no gabinete de Flávio Bolsonaro estão ganhando um novo capítulo. Pedra no sapato do …
4
02:52
Bolsonaro diz que vai indicar Sergio Moro para vaga no Supremo
O presidente Jair Bolsonaro se comprometeu em indicar o ministro Sergio Moro para uma vaga no Supremo Tribunal Federal. A …
5
03:41
Movimentos estudantis convocam ato contra os cortes na educação
Um ato marcado para esta quarta-feira, 15 de maio, promete mobilizar secundaristas, universitários, pós-graduandos, professores e outros profissionais contra os …
6
06:06
A construção do papel de mãe para quem opta pela adoção
O depoimento de Rosangela Ferreira faz parte do especial Mãe não é tudo igual, que destaca que cada maternidade tem …
7
06:33
O drama de retornar ao trabalho após a licença maternidade
O depoimento de Maria da Conceição faz parte do especial Mãe não é tudo igual, que destaca que cada maternidade …
8
05:41
A solidão por trás da maternidade e da depressão pós-parto
O depoimento de Leticia de Angelis faz parte do especial Mãe não é tudo igual, que destaca que cada maternidade …