Últimas notícias:

Loading...

Dr. Jairinho come sanduíche dado pelo próprio diretor do presídio

Raphael Montenegro, secretário de Administração Penitenciária, disse o 'kit lanche' é o mesmo dado para todos os outros presos

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Em um vídeo é possível ver o vereador Jairo Souza Santos Junior, o Dr. Jairinho, recebendo um sanduíche das mãos de Ricardo Larrubia da Gama, diretor da Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica. As imagens divulgadas são do último dia 8, quando ele foi preso pela morte de Henry Borel Medeiros, 4 anos, junto com a namorada Monique Mediros, mãe do garoto.

Dr. Jairinho come sanduíche dado pelo próprio diretor do presídio
Crédito: Reprodução/TwitterDr. Jairinho come sanduíche dado pelo próprio diretor do presídio

As cenas acontecem na recepção do presídio. O secretário de Administração Penitenciária, Raphael Montenegro, fala que o lanche entregue ao político era o mesmo dado aos outros presidiários e não há sinais de privilégios. Por constatar que as imagens não mostram “nada demais”, ele disse que não abriu nenhum investigação da denúncias de que o político teve tratamento com regalias.

“Qualquer pessoa que tiver acesso às imagens perceberá que, por volta da 15h30, em ambiente comum da unidade, foi entregue ao interno Jairo o mesmo ‘kit lanche’ que se oferece a todos os internos que estejam em trânsito para audiências. De fato é o diretor quem entrega o lanche ao Vereador, mas se trata do mesmo lanche que se oferece aos presos em trânsito para audiência”, alega.

As imagens também foram enviadas para o Ministério Público do Rio. “Não posso deixar de prestar minhas sinceras homenagens ao policial penal Ricardo Larrubia, que com tantos anos de bons serviços prestados ao sistema penitenciário, diante das denúncias optou por pedir exoneração da função de direto do Presídio Frederico Marques”, acrescentou o secretário.

O MP-RJ alega que recebeu uma denúncia anônima de que Jairinho e Monique receberam regalias na prisão. “A partir das informações trazidas na denúncia e providências de verificação, não foi encontrado nenhum elemento ou indício de irregularidade na recepção dos internos. O procedimento de isolamento foi observado para evitar riscos de instabilidade no ambiente prisional. A medida atende ao protocolo padrão adotado sempre que necessário e justificado como no caso”, diz a assessoria do órgão.

Fontes ainda afirmaram que Jairinho ficou na sala de um diretor enquanto estava na unidade. Monique também teria ficado em uma sala, sem ir para cela. Eles teriam comido a mesma comida do diretor, fora do que é ofertado aos demais presidiários

Compartilhe: