Publicidade

Informar

Empresa alfabetiza auxiliares de limpeza em vez de demiti-los

Por Razões Para Acreditar

Por: Redação | Comunicar erro
...
Publicidade

Nátaly Bonato trabalha na WeWork, um espaço de trabalho compartilhado na avenida Paulista, em São Paulo. Para resolver problemas de limpeza da unidade, ela achou que um relatório seria o suficiente.

O relatório deveria ser preenchido pelos funcionários da limpeza todos os dias dizendo se a sala do cronograma tinha sido limpa e, caso não, colocar um comentário explicando o porquê.

“O relatório demorou uma semana para chegar e, quando veio, o banheiro virou um caos. Não entendi nada, nos reunimos e a descoberta foi que 50% do time [terceirizado] era iletrado”, escreveu Nátaly no Facebook.

Em vez de trocar a equipe (o que infelizmente é uma prática bastante recorrente), Nátaly teve uma ideia muito melhor: procurar nas escolas que fazem parte dos espaços compartilhados alguém que pudesse alfabetizar os auxiliares de limpeza. Foi assim que ela conheceu a pedagoga Dani Araujo, da MasterTech, que topou o desafio.

As pessoas não são descartáveis. Eu não queria que alguém passasse pela minha vida sem ter o meu melhor, sem que eu pudesse tentar. Então, eu não queria que eles saíssem daqui um dia e continuassem tendo aquelas profissões por que eles não tinham escolha”, disse Nátaly em entrevista, leia o restante aqui.

Todos comemoram a formatura dos funcionários que agora já conseguem ler e escrever

Compartilhe:

Publicidade
Publicidade

Museu de Anatomia Humana da USP exibe peças que ensina como o seu corpo funciona

Cereja Flor: O lugar das taças de sorvetes gigantes em São Paulo

Fondue taiwanês é a próxima delícia que você tem de provar

Médica tira dúvidas sobre anticoncepcional

Refugiados se tornaram microempreendedores em um lava-rápido em São Paulo

Publicidade