Escola recuperada pela comunidade melhora no Idesp

Com o dia marcado para fechar as portas, a Escola Estadual Carlos Maximiliano, mais conhecida por Max, deu a volta por cima após ser recuperada pela comunidade. Direção, professores, alunos, pais e outras entidades da região se uniram e juntos conseguiram melhorar a qualidade do ensino. O Governo Estadual também apoiou a iniciativa implantando na instituição ensino técnico.

O auditório, que estava abandonado, foi reformado e se converteu num centro cultural, aberto à

Parte da fachada recuperada
Parte da fachada recuperada

comunidade; nesse lugar, surgiu o Teatro da Vila. Os próprios alunos pintaram, com cores fortes, as paredes do Max, fixando peças produzidas com a ajuda de uma artista plástica.

Tirando proveito da vocação artística do bairro, entraram na roda comunicadora, artistas plásticos, estilistas. Um fotógrafo ainda adolescente (Victor Dragonetti) dedicou várias semanas para flagrar imagens de alunos encantados com o saber -e assim tentar mudar a imagem que eles têm si próprios. Com ajuda de cineastas da empresa NaLaje Filmes, foi produzido um filme em que os estudantes fazem o roteiro, a edição e preparam os atores.

Na frente do Max, há vários consultórios de psicólogos e psicanalistas que se dispuseram a trabalhar com intermediação de conflitos.

O resultado é que o Max acaba de alcançar uma média maior – que as atingidas nos anos anteriores – no Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo).

O Idesp é um indicador de qualidade das séries iniciais (1ª a 4ª séries) e finais (5ª a 8ª séries) do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.

Drago
Alunos se divertem no Max
Alunos se divertem no Max

Galeria de imagens, por Drago:

Redação

Por Redação

Conteúdos produzidos por uma equipe super diversificada da Catraca Livre. Diferentes perfis se unem para compor um time plural focado em traduzir o melhor do jornalismo para nosso público.