Escrivã evita linchamento de torcedores em Fortaleza

Policial passava pelo local e interrompeu ataque antes do jogo entre Ceará e Fortaleza

Por: Redação

Uma policial civil evitou que pai e filho de 15 anos fossem linchados por um grupo de torcedores na tarde do último sábado, 3, em Fortaleza (CE).

Crédito: ReproduçãoImagem mostram momento que a policial civil atirou para o alto para conter torcedores em Fortaleza (CE)

Imagens que circulam pelas redes sociais mostram o momento que torcedores do Fortaleza derrubam pai e filho, que usavam camisas do rival Ceará Sporting Clube, da moto e arrasta um deles pela avenida Silas Munguba, no entorno da Arena Castelão, palco do jogo entre as duas equipes pela 13ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.

Em seguida aparece a escrivã, que saca a arma e dispara um tiro para o alto para dispersar um grupo.

View this post on Instagram

Um vídeo compartilhado nas redes sociais mostra uma mulher atirando em via pública para dispersar um grupo que ataca dois torcedores vestidos com camisa do Ceará Sporting Club, na Avenida Silas Munguba, em Fortaleza, neste sábado (3), quando ocorreu o Clássico-Rei na Arena Castelão. Moradores de um prédio registram o momento em que o grupo derruba dois rapazes que vinham em uma motocicleta, vestidos com camisa do Ceará, e arrasta eles pela pista. Pelas imagens dá pra ver que vários homens se amontoam ao redor dos dois rapazes, um deles chega a colocar a mão na bermuda de um dos torcedores do Ceará, outro recolhe algo próximo à moto. Não é possível identificar se pertences das vítimas foram levados. A Polícia Militar não tem registro da ocorrência. (Vídeo: Vc Repórter) #Segurança #Clássico #Dn #DiáriodoNordeste

A post shared by Diário do Nordeste (@diariodonordeste) on

Em entrevista ao jornal Diário do Nordeste, o pai do adolescente arrastado disse que iam assistir ao jogo, mas, por não saber que o trajeto das torcidas havia mudado, seguiu pela avenida. Ele relata ter ouvido gritos para parar a moto pouco antes de ser atacado.

O homem, que não teve sua identidade revelada, disse que teve a moto derrubada e se desesperou ao ver o filho cair do veículo e ser arrastado pelos agressores. “Larguei a moto e fui tentar socorrer meu filho. Foi quando a mulher apareceu”, relata.

Após o incidente, pai e filho desistiram de ir ao jogo e voltaram para casa. “O meu filho está muito abalado”, afirma.

Compartilhe: