Feminicídio: mulheres protestam após estupro brutal na Argentina

A jovem Lucía Pérez foi drogada, estuprada e assassinada na cidade de Mar del Plata, na Argentina, no dia 8 de outubro

A adolescente argentina Lucía Pérez, de 16 anos, foi brutalmente estuprada e morta na cidade costeira de Mar del Plata. De acordo com a reconstrução do crime, feita pelo Ministério Público, os assassinos lavaram o corpo e trocaram a roupa da jovem após o abuso sexual. Em seguida, a levaram até um centro de saúde e afirmaram que ela tinha ficado inconsciente por causa de uma overdose.

Esse caso de feminicídio, um dos mais brutais já registrados na Argentina, motivou as mulheres de diversos grupos, como o coletivo feminista Ni una menos, a organizarem uma manifestação de repúdio na próxima quarta-feira, dia 19 de outubro. O evento no Facebook já tem milhares de confirmados. Confira aqui.

“A menos de uma semana do Encontro Nacional de Mulheres, um novo feminicídio brutal mostra a violência a que estamos expostas. Por todas as mulheres que faltam, pelas assassinadas e desaparecidas, contra a violência e o terrorismo machista, contra a impunidade, contra o acobertamento, contra a inação e a cumplicidade estatal e policial”, diz um dos textos que convocaram a marcha.

O caso de estupro reascendeu o debate sobre o feminicídio na Argentina
O caso de estupro reascendeu o debate sobre o feminicídio na Argentina

Matías Farías, de 23 anos, e Juan Pablo Offidani, de 41, são acusados de abuso sexual seguido de morte. Um terceiro suspeito, Alejandro Alberto Masiel, foi detido pela polícia acusado de acobertar o feminicídio de Lucía Pérez, que ocorreu em 8 de outubro.

O caso de violência contra a mulher indignou Mar del Plata e as cidades de todo o país. A vítima cursava o quinto ano do ensino médio. Depois do crime, sua família se mobilizou com milhares de moradores para exigir uma condenação aos assassinos.

Desde que a adolescente foi assassinada, ao menos outras três mulheres morreram vítimas do machismo no país. Segundo a Corte Suprema de Justiça da Argentina, ocorreram 235 feminicídios em 2015, um crime a cada 36 horas.

Com informações do El País

Compartilhe:

1 / 8
1
05:43
Entenda a proposta de Bolsonaro para a educação domiciliar
O presidente Jair Bolsonaro assinou o projeto de lei que pretende regulamentar a educação domiciliar no país. Se aprovada pelo …
2
36s
Conheça o Norbert o cãozinho que faz todo mundo sorrir
Ele tem 17 cm e pesa 1,5 kg de pura fofura.
3
02:19
Katie Bouman: a mulher responsável pela foto do buraco negro
A cientista da computação Katie Bouman mudou a história da ciência ao liderar a equipe de 200 pesquisadores que capturou …
4
05:10
Danilo Gentili é considerado culpado e pode ir preso
O apresentador Danilo Gentili foi condenado a seis meses e 28 dias de prisão por conta do caso envolvendo a …
5
02:29
Decisões de Bolsonaro podem colocar em risco a segurança pública
Gilberto Dimenstein comenta algumas das últimas decisões do governo. Os novos projetos e definições - nas áreas de trânsito e …
6
03:09
Quem é Abraham Weintraub, o novo ministro da Educação?
O presidente Jair Bolsonaro anunciou através de sua conta no Twitter o novo ministro da Educação. Agora, será a vez …
7
03:36
Colégio de elite suspende 30 alunos por bullying em São Paulo
O Colégio Santa Cruz, um dos mais tradicionais de São Paulo, registrou um caso grave de bullying. A situação teve …
8
01:36
9 gentilezas que vão mudar o seu dia
Algumas pequenas atitudes podem transformar o seu dia e quem você é. Aprenda a praticar o bem para que a …