Funcionário de hotel é preso por estupro de hóspede no Rio de Janeiro

Vídeo mostra o momento em que o homem deixa o quarto correndo

Por: Redação
Ouça este conteúdo

O funcionário de um hotel na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, foi preso em flagrante por estupro, na noite desta segunda-feira, 19. As informações foram obtidas pelo G1.

FUNCIONÁRIO HOTEL ESTUPRO
Crédito: Reprodução/G1Funcionário de hotel é preso por estupro de hóspede no Rio de Janeiro

O mensageiro do America’s Barra Hotel, Fábio de Oliveira de Barros, de 37 anos, segundo a polícia, atacou uma hóspede que veio do Pará para fazer um curso.

Segundo a mulher que chegou ao hotel por volta das 21h, desta segunda-feira, o funcionário do hotel invadiu seu quarto com uma chave-mestra, após, sem êxito,  ter tentado entrar batendo na porta.

A câmera do andar mostra quando o funcionário bate à porta da vítima, que não abre. Minutos depois, o mensageiro retorna, agora com uma chave-mestra, e entra no quarto.

Segundo a vítima, o funcionário do hotel entrou no apartamento dizendo que era motorista da amiga que havia deixado o local há pouco tempo e passou a mão em suas partes intimas.

Segundo a vítima, ela ouviu o momento em que o funcionário passou o cartão magnético para entrar no quarto e se assustou. Ela ainda conta que ele foi logo se anunciando como motorista da amiga e dizendo que ela estava preocupada. Em seguida, Fábio disse que ia apagar a luz e tocou a vítima perguntando se ela estava bem. A vítima respondeu que estava bem e que o homem poderia ir embora.

“Ele continuou falando que minha amiga estava preocupada e foi baixando a mão. Eu dizia que estava bem, ele foi baixando a mão e botou nas minhas partes íntimas. Baixou a mão mesmo. Nisso, eu tive o reflexo de dar um chute nele”, contou a mulher.

Essa ação durou quatro minutos. A câmera do andar gravou quando o funcionário do hotel deixa o quarto correndo. “Eu fiquei nervosa e pensei: ‘Não posso dormir porque esse homem tem acesso. E se esse homem voltar?’ Passei a noite acordada observando a porta”, disse a vítima. Para ver o vídeo, clique aqui.

A Polícia disse que o funcionário do hotel preferiu ficar em silêncio.

Já o America’s Barra Hotel afirmou, em nota, que repudia qualquer tipo de agressão física ou moral e que está ajudando a polícia a esclarecer o ocorrido. O hotel afirmou ainda que está há mais de 30 anos no mercado de hospedagem e que nunca teve qualquer situação parecida com esta, “pois preza pela total segurança dos hóspedes”.

Como denunciar casos de assédio sexual ou estupro

O assédio contra mulheres envolve uma série de condutas ofensivas à dignidade sexual que desrespeitam sua liberdade e integridade física, moral ou psicológica. Lembre-se: onde não há consentimento, há assédio! Não importa qual roupa você vista, de que modo você dance ou quantas e quais pessoas você decidiu beijar (ou não beijar): nenhuma dessas circunstâncias autoriza ou justifica o assédio.

Tecnicamente, de acordo com o Código Penal, assédio sexual é aquele que ocorre onde há relações hierárquicas entre a vítima e o assediador. Em regra, é aquele que ocorre em relações de trabalho, ou seja, o assediador é o empregador ou chefe e o funcionário é o assediado. Os atos invasivos que ocorrem na rua e em outros espaços públicos, geralmente entre desconhecidos, e que popularmente chamamos de “assédio sexual”, configuram, em geral, o recém-criado crime de importunação sexual.

No entanto, as violências que ocorrem nas ruas podem configurar outros crimes além da importunação. Quando há ofensas verbais, por exemplo, fica caracterizado o crime de injúria. Além de configurar crimes, os mesmos atos podem trazer consequências na esfera cível, gerando um dever de indenização.

Veja aqui como denunciar.