Fundação João Pinheiro suspende aula e aciona MP contra Bolsonaro

O presidente eleito cita nominalmente alguns professores da instituição e os acusam de "doutrinação"

Por: Redação | Comunicar erro
bolsonaro fundação joão pinheiro
Crédito: Reprodução/YouTubeJair Bolsonaro citou o nome de nove professores da Fundação João Pinheiro

A Fundação João Pinheiro, entidade de ensino localizada em Minas Gerais, cancelou as aulas após um vídeo com o presidente eleito Jair Bolsonaro citando nominalmente o nome de alguns professores da instituição viralizar nas redes sociais na última segunda-feira, 29.

Na gravação que aparenta ser anterior à vitória do militar, quando ele ainda era deputado federal, Bolsonaro cita nomes de nove docentes da Fundação e questiona os métodos de ensino da instituição, acusando-a de “doutrinação”.

“Se nós vivêssemos no regime que vocês defendem, você não estaria vendo essa mensagem nesse aparelho maravilhoso que não é fabricado na Coréia do Norte e nem em Cuba. Caia na real, pare de se enganar a si mesmo. Agindo dessa maneira, você não só vai ser mais respeitado na escola – não estou dizendo que são desrespeitados não –, bem como nós podemos trabalhar por um Brasil melhor. Pode não concordar comigo, mas na maioria das coisas eu sou muito melhor do que aquilo que vocês dizem aqui. É só ver os exemplos de países que pregam a ideologia que vocês ensinam ai na escola. Um abraço a vocês e acredito na recuperação de vocês”, diz Bolsonaro nas imagens.

De acordo com informações dos sites da revista “Fórum” e do “BHAZ”, a Fundação João Pinheiro confirmou, através da assessoria, que as aulas foram suspensas e que os professores citados fazem parte do time de docentes da instituição.

Ainda, a Fundação divulgou nota repudiando o vídeo e informando que uma ocorrência foi registrada junto ao Ministério Público, que apurará o caso.

Confira na íntegra:

A diretoria da Fundação João Pinheiro (FJP) manifesta o seu veemente repúdio ao teor do vídeo postado nas redes sociais na noite de ontem (29/10/2018), por meio do qual o candidato eleito para presidir o Brasil nos próximos quatro anos, a partir de 1º de janeiro de 2019, se dirige nominalmente a um grupo de pesquisadores/professores da Escola de Governo da FJP de maneira não condizente com os valores civilizatórios e com o estado democrático de direito vigente no país. A ocorrência está sendo registrada no Ministério Público e providências judiciais estão sendo tomadas na tentativa de apurar o fato.

A Fundação João Pinheiro não pode aceitar que manifestações de intransigência se voltem contra os seus servidores de maneira desrespeitosa à liberdade de expressão garantida pela Constituição cidadã de 1988. Fiel ao legado constitucional, a Escola de Governo da FJP tem como uma de suas pedras angulares a manutenção de um ambiente diverso, plural, suprapartidário, de respeito à liberdade de pensamento e opinião e de combate à intolerância.

Roberto do Nascimento Rodrigues – Presidente

Sem doutrinação

Por meio do Facebook, o Diretório Acadêmico da Fundação João Pinheiro rechaçou as acusações de “doutrinação” tampouco “Imposição de pensamento por parte do corpo docente” da instituição.

Confira:

O D.A. CSAP vem, por meio desta nota, reconhecer a Escola de Governo Paulo Neves de Carvalho como ambiente plural e democrático. Nós, alunos, não reconhecemos nenhum tipo de doutrinação ou imposição de pensamento por parte do corpo docente da Fundação João Pinheiro. O ambiente educacional é composto por pessoas de diversas ideologias políticas e diferentes opiniões, essenciais para a construção de um pensamento crítico independente, base para a formação de pessoas que buscam atender o interesse público. Prezamos pela liberdade de expressão e por um espaço no qual o diferente seja sempre aceito e respeitado e nos esforçamos todos os dias para que isso seja possível. Repudiamos, portanto, qualquer tentativa de minar essa construção, essencial para a democracia.

O D.A. CSAP vem, por meio desta nota, reconhecer a Escola de Governo Paulo Neves de Carvalho como ambiente plural e…

Posted by D.A. CSAP on Tuesday, October 30, 2018

Compartilhe:

1 / 8
1
08:30
Intercept: os principais pontos do depoimento de Moro no Senado
O ministro da Justiça, Sergio Moro, prestou esclarecimentos em audiência na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça do Senado) sobre …
2
04:04
E se Carlos Bolsonaro fosse gay?
O ex-deputado Jean Wyllys fez uma série de posts em sua rede social apontando que Carlos Bolsonaro, o filho 02 …
3
03:02
Empresas usaram disparos no WhatsApp durante eleição de Bolsonaro
Uma reportagem publicada pela Folha de S. Paulo mostra que empresas brasileiras contrataram uma agência de marketing na Espanha para …
4
01:49
Senado diz não e derruba o decreto de armas de Bolsonaro
O Senado votou na terça-feira, 18, o parecer que pede pela suspensão dos decretos que flexibilizam o porte e a …
5
03:54
Bancada do PSL passa vergonha ao convocar e desconvocar Glen Greenwald
O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) apresentou na quarta-feira, dia 12, um requerimento na Comissão de Segurança Pública da Câmara …
6
03:48
O melhor jornal do mundo faz a pior reportagem para Bolsonaro
Essa é a pior reportagem já publicada num jornal estrangeiro contra Jair Bolsonaro. Por dois motivos: saiu no mais importante …
7
03:47
A estranha conexão entre o caso Najila Trindade e Sérgio Moro
O jornalista Gilberto Dimenstein publicou em sua coluna no site Catraca Livre um texto em que conecta dois casos de …
8
03:04
Entendas os possíveis impactos do vazamento das mensagens de Moro
O site The Intercept Brasil divulgou trechos de mensagens trocadas entre o então juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça, …