Governo Bolsonaro lança cartilha ‘anti-Bolsonaro’

Documento recomenta que "os agentes do Estado não devem adotar discursos públicos que exponham jornalistas e outros comunicadores"

Por: Redação

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, comandado por Damares Alves, divulgou a reedição de uma cartilha que orienta autoridades públicas a não exporem profissionais de imprensa.

A medida vem na contramão dos recentes e constantes ataques do presidente Jair Bolsonaro à imprensa. A informação é da Folha.

O material, publicado em 2018na gestão Michel Tener, foi atualizado com pequenas alterações, como a criação de um protocolo de segurança e a mudança do nome de um programa de proteção aso profissionais da mídia.

A reportagem da Folha diz ainda que o documento defende que as autoridades públicas “têm a obrigação de condenar veementemente agressões contra jornalistas” e que o governo federal tem “o compromisso de não sancionar qualquer meio de comunicação ou jornalista por difundir a verdade, criticar ou fazer denúncias”.

A cartilha recomenta também que “os agentes do Estado não devem adotar discursos públicos que exponham jornalistas e outros comunicadores e comunicadoras a maior risco de violência ou aumentem sua vulnerabilidade.”

Vera Magalhães

A jornalista e colunista do Estadão  Vera Magalhães  foi o mais recente alvo de ataques de Bolsonaro e sua milícia digital. Ela revelou que o presidente compartilhou um vídeo convocando a população para as manifestações contra o Congresso Nacional.

Compartilhe: