Últimas notícias:

Loading...

Henry Borel sofreu sessão de tortura antes de morrer, diz polícia

De acordo as investigações, o vereador agredia o menino com chutes, rasteiras e golpes na cabeça

Por: Redação
Ouça este conteúdo

As investigações da Polícia Civil do Rio de Janeiro apontam que o vereador Dr. Jairinho (Solidariedade) teria praticado uma sessão de tortura contra Henry Borel, de 4 anos, semanas antes da morte do menino.

Para os investigadores da 16ª DP (Barra da Tijuca), o vereador agredia o menino com chutes, rasteiras e golpes na cabeça.

Henry Borel
Crédito: Reprodução/TV GloboDr. Jairinho teria um histórico de agressões contra Henry, segundo investigação

De acordo com os policiais, as agressões ocorriam desde fevereiro e com o consentimento da mãe do menino, Monique Medeiros. As informações são da TV Globo.

As investigações apontam ainda que no dia seguinte ao enterro do filho, Monique passou a tarde no salão de beleza de um shopping na Barra da Tijuca.

Dr. Jairinho e Monique foram presos na manhã desta quinta-feira, 8, após a Justiça decretar a prisão temporária de 30 dias do casal. De acordo com a polícia, os dois são acusados de atrapalhar as investigações e ameaçar testemunhas.

Entenda o caso Henry Borel

Henry Borel morreu no dia 8 de fevereiro. Segundo a mãe, ele foi encontrado por ela caído em um dos quartos do apartamento ondem moravam os três.

O casal alegou que o menino sofreu um acidente e que estava “desacordado e com os olhos revirados e sem respirar”. Ele foi socorrido, mas chegou ao hospital já sem vida.

Os laudos da necropsia de Henry informam que a causa da morte foi hemorragia interna e laceração no fígado causada por uma ação violenta.

Compartilhe:

Tags: #Crime