Homem de 51 anos engana menina de 12 pela internet e a estupra

Ele se passou por adolescente por meio de redes sociais para atrair a garota

Um homem de 51 anos de São José do Rio Preto (SP) fingiu ser adolescente em uma rede social para conseguir seduzir e estuprar uma menina de 12 anos. O crime foi cometido em um sítio em Fronteira (MG).

Homem engana menina pela internet e a estupra
Créditos: fsHH/Pixabay
Homem engana menina pela internet e a estupra

Segundo a polícia, a garota saiu de casa na madrugada do sábado, 21, sem avisar os pais, para se encontrar com um “jovem” que tinha conhecido na internet. Ao chegar ao local, ela encontrou o homem, que a obrigou a entrar no carro.

Então, ela foi levada à propriedade rural do suspeito. No sítio, a menina comeu macarrão e tomou um suco, desmaiou e foi violentada.

O estupro foi confirmado pelo exame de corpo delito, realizado no Hospital da Criança e Maternidade (HCM) de Rio Preto.

Uma equipe do Batalhão de Ações Especiais (Baep) em São José do Rio Preto (SP) encontrou e prendeu o homem, que vou levado à carceragem da Divisão Especializada em Investigações Criminais (Deic).

A garota recebeu atendimento hospitalar e terá acompanhamento psicológico.

Como denunciar

Diariamente, crianças e adolescentes são expostos à violência sexual. Há algumas formas de denunciar casos de violência sexual a menores de idade:

Criança não tem culpa pelo abuso
Criança não tem culpa pelo abuso

Disque 100

Como nos casos de racismo, homofobia e outras violações de direitos humanos, qualquer cidadão pode fazer uma denúncia anônima sobre casos abuso infantil pelo Disque 100. A denúncia será analisada e encaminhada aos órgãos de proteção, defesa e responsabilização em direitos humanos, respeitando as competências de cada órgão.

Aplicativo Proteja Brasil

Depois de instalar o aplicativo gratuito em seu celular, o usuário rapidinho, respondendo um formulário simples, registra a denúncia, a qual será recebida pela mesma central de atendimento do Disque 100. Se quiser acompanhar a denúncia, basta ligar para o Disque 100 e fornecer dados da denúncia.

Ouvidoria Online

O usuário preenche o formulário disponível aqui e registra a denúncia, a qual também será recebida pela mesma central de atendimento do Disque 100. Se quiser acompanhar a denúncia, basta ligar para o Disque 100 e fornecer dados da denúncia.

Disque 100 recebe denúncias de abuso infantil
Disque 100 recebe denúncias de abuso infantil

Veja, abaixo, medidas simples para crianças usarem a internet de maneira segura.

1 – Utilize ferramentas para bloquear conteúdos indesejados ou impróprios
Muitos aparelhos já contam com essa ferramenta, basta ativá-la. Mas há outros recursos como o Family Link, aplicativo que permite aos pais supervisionarem seus filhos por meio de uma conta do Google.

2 – Use o sistema de busca segura do aparelho
Os aparelhos costumam vir com esse recurso, que limita o tipo de conteúdo que será exibido nos resultados de pesquisa e impede que sejam abertas as páginas que o usuário definiu como indesejadas.

3 – Coloque limite no acesso a aplicativos e jogos
Criar um perfil específico para a criança é uma medida bem importante presente em computadores e funciona da mesma forma como nos dispositivos móveis. Além de limitar o que será acessado, é possível estabelecer um horário para que a máquina desligue, a fim de controlar o tempo que a criança permanece online.

4 – Instale um bom antivírus no aparelho
Se proteger de hackers e programas maliciosos é fundamental para uma navegação segura. Por isso, ter um bom antivírus atualizado no aparelho evita muita dor de cabeça.

5 – Renove as senhas dos aparelhos frequentemente
Trocar as senhas de tempos em tempos é uma medida importante para evitar possíveis invasões. Não informar a senha à criança e fazer o login sempre que ela precise mexer no aparelho é algo importante para que o pequeno não informe ingenuamente sua senha a terceiros.

6 – Só instale programas confiáveis
Instale aplicativos e programas de fontes confiáveis, como a Google Play e a App Store, por exemplo, evitando assim a invasão de vírus e espiões indesejados.

7 – Monitore a criança
Mantenha-se sempre por perto do seu filho também no mundo virtual, assim como você faz na vida real. Adicione-o como seu contato nas redes sociais e se você ainda não estiver naquelas em que ele está, crie um perfil. Dessa forma, poderá observar o que ele está postando na internet, as pessoas com quem está conversando e também aquelas que estão seguindo o seu filho.

8 – Mantenha diálogo aberto com a criança
Manter um diálogo aberto e explicar sobre os riscos aos quais a criança está exposta se não souber como navegar pelo mundo virtual é algo imprescindível. Fale sobre pessoas mal-intencionadas, da importância de não revelar dados pessoais, não enviar fotos íntimas, de evitar adicionar pessoas estranhas, entre outras recomendações.