Influencer é hackeada e chantageada com pedido de nudes

Kate Botelho Viana é criadora do perfil "Como vai, gordinha", no Instagram

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A influenciadora digital Kate Botelho Viana, criadora do perfil “Como vai, gordinha“, teve sua conta no Instagram hackeada.  Para ter a página de volta, ela relatou que o criminoso exigiu que ela enviasse nudes.

No perfil, a influencer compartilha conteúdo sobre moda para pessoas gordas e empoderamento feminino. As informações são do UOL.

Crédito: Reprodução/InstagramA influenciadora digital Kate Botelho Viana, teve sua conta no Instagram hackeada, conta que foi chantageada com pedido de nudes

À polícia, Kate contou que teve que usar um segundo perfil na rede social para negociar com o criminoso a retomada do @comovaigordinha -que teve o nome trocado.

Um dos prints das conversas que a influenciadora levou à Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos (DRCI), no Rio de Janeiro, onde mora, o criminoso diz “Send me nudes” (“me envie nudes”, em português).

A influenciadora digital foi orientada a registrar a ocorrência como estupro, uma vez que crime teria passado de invasão e roubo de dados para um crime sexual. Para a polícia, o caso é de estupro virtual.

Desabafo

Kate fez um desabafo e disse que não ia se intimidar. “Quem toma conta de mim não dorme! Sim Ele meixxxxmo, Deus! Se tentaram apagar o meu brilho porque sou uma gorda ‘ativista’ do amor próprio e da aceitação do corpo gordo, sorry, not today satan! E nem dia nenhum!”, escreveu ela já de posse de seu perfil no Instagram.

View this post on Instagram

Quem toma conta de mim não dorme! Sim Ele meixxxxmo, Deus! Se tentaram apagar o meu brilho porque sou uma gorda 'ativista' do amor próprio e da aceitação do corpo gordo, sorry, not today satan! E nem dia nenhum! Se tentaram me derrubar apenas para vender um perfil que tinha mais de 51 k, para venda e ou extorsão, em São Paulo ou na Turquia, sorry. Quiseram apagar o meu sorriso. Conseguiram por apenas dois dias… Mas nessa uma semana de perfil hackeado, Deus me ensinou e me mostrou o que é o amor, a perseverança, a fé, a amizade, o carinho, a sororidade, a empatia. Aprendi muito que cada palavra boa importa muito, faz toda a diferença na hora de desespero. Aprendi que todo ombro que nos é dado deve ser retribuído e agradecido. Aprendi a dar menos importância a imagem superficial. aprendi que alguns transbordam em amor enquanto outros apenas assistem… Mas estou aqui de volta pela graça e misericórdia de Jesus! Pois é Ele quem sempre me sustentou! Eu não tenho palavras para agradecer todas as pessoas que, de alguma maneira, direta ou indireta me ajudaram com a recuperação do meu perfil! Eu não consigo expressar toda a gratidão que o meu coração sente nesse momento! Eu só posso pedir que Deus continue Iluminando, dando Sabedoria e Vitória a vida de cada um de vocês!!! Eu não vou marcar ninguém na foto, nem vou colocar @ aqui, posso acabar cometendo injustiça à alguém fazendo isso. Mas me sinto na obrigação de dizer MUITÍSSIMO OBRIGADA!!! EU VOLTEI!!! MUITO GRATA!!! MUITO FELIZ!!! Com muita humildade e carinho! A Gordashian tá de volta!!! "Alegrem-se com os que se alegram; chorem com os que choram" Romanos 12:15 Foto By @belezasempadrao

A post shared by Kate Viana (@comovaigordinha) on

Legislação

No Brasil, há duas leis que estabelecem diretrizes de bom uso e protegem os direitos dos internautas.

A primeira dela é o Marco Civil da Internet, criado em 2014, que estabelece a utilização da internet no Brasil, indicando os direitos e deveres dos internautas e das entidades que fornecem serviços virtuais.

Fechadura digital azul circuitos em código binário
Crédito: IStock/@matejmoOs crimes cometidos na web são qualificados da mesma forma que os crimes fora da rede, pelas mesmas leis e com as mesmas punições

Aliado ao Marco Civil, a lei Carolina Dieckmann, criada em 2012, proíbe a tomada de dispositivo de outra pessoa para ter, mudar ou eliminar dados do proprietário do dispositivo.

A lei diz que invadir dispositivo informático alheio, conectado ou não à rede de computadores, mediante violação indevida de segurança e com o fim de obter, adulterar ou destruir dados ou informações sem autorização expressa ou tácita do titular do dispositivo ou instalar vulnerabilidades para obter vantagem ilícita, a pena é de três meses a um ano de prisão, além das multas.

Ela se estende a quem fabrica, oferta, compartilha, vende ou expande dispositivo ou programa de computador com o objetivo de motivar a realização de ação criminosa. A punição pode ser maior se ficar provado que tal invasão trouxe como resultados danos financeiros.

Como denunciar?

A primeira coisa para fazer a denúncia de crimes virtuais é ter em mãos todos os dados referentes à ação. A pessoa lesada precisa salvar tudo que pode ajudar na comprovação do crime.

Entre os dados, incluem-se e-mails, fotos da tela (prints), informações do infrator (endereço de e-mail que foi enviado pra você, por exemplo), mensagens em rede sociais e tudo mais que possa servir de prova.

Importante: guarde todos os elementos e documentos consigo.

ilustração com dois homens mexendo no computador, um deles praticando crimes virtuais
Crédito: IStock/@jemastockCuidado: segurança digital também significa ficar de olho na infinidade de dados que compartilhamos na web

Com todos os dados na mão, registre em cartório os documentos com ata notarial. Isso vai fazer com que a evidência tenha autenticidade, confirmando que tudo que está ali é verdadeiro. Saiba mais como denunciar crimes virtuais.

Compartilhe: