Jovem gay é agredido e xingado por policial ao registrar B.O.

O jovem foi a uma delegacia para registrar um furto, mas recebeu ofensas homofóbicas e agredido por policial

Por: Redação
Andrei Apolônio, vítima de agressão por policial

Um jovem relatou momentos de humilhação, violência e homofobia quando tentou registrar um boletim de ocorrência (B.O.) em Niterói (RJ).

Andrei Apolônio, de 23 anos, foi agredido dentro da 81ª DP, na cidade fluminense, após ter se dirigido ao local para comunicar o furto de um celular.

Ele relatou ao G1 que um policial civil o agrediu. “Eu cheguei e ele já começou a agressão com palavras homofóbicas e tapas no pé da orelha, que me deixaram com muito medo”.

A vítima disse ao mesmo site que enquanto um policial lhe dava tapas, socos e pressionava o seu pescoço, outro membro da Polícia Civil apenas observava a ação.

O agressor ainda se recusou a fazer o B.O., segundo Andrei. “Dava para ver que ele estava incomodado com quem eu era, porque eu sou gay. Ele achou uma afronta eu ser um gay e querer fazer ele trabalhar às 4h da manhã”. Ele ainda afirmou que foi ameaçado de morte quando deixou a delegacia.

Andrei ficou com diversos ferimentos e ainda teve três dentes quebrados.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Polícia Civil se limitou a dizer que “as investigações estão em andamento na Corregedoria Interno da Polícia Civil (Coinpol)”.

“Está prevista para quarta-feira, às 14 horas, na Coinpol, o reconhecimento dos policiais”, completa a nota.

  • Leia mais

Compartilhe: