Em SP, médicos trans e travestis poderão usar nome social

Por: Redação

Até o próximo mês, o Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) deve aprovar uma determinação que permitirá a médicos trans e travestis do estado usarem o nome social no exercício da profissão. O nome social é a identidade escolhida por essas pessoas de acordo com o gênero com o qual se identificam.

Em entrevista ao ‘G1’, Márcio Gomes de Aranha Lima, presidente do Cremesp, disse que a resolução será levada para votação dos 42 conselheiros da instituição. Para ele, é improvável que algum dos membros se coloque contra a aprovação da medida.

Médicos trans e travestis devem poder usar nome social
O nome social é a forma como trans e travestis escolhem ser chamados

Em órgãos do serviço público federal, como ministérios, universidades federais e empresas estatais, o uso do nome social é assegurado por lei.

Em maio deste ano, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) também aprovou uma resolução que autoriza advogados trans e travestis a utilizarem o nome social no registro e nas carteiras de identidade profissional expedidas pela entidade.

Compartilhe: