Últimas notícias:

Loading...

Orangotango era usada como escrava sexual na Indonésia

Primatas são vendidos por até R$ 75 mil no mercado ilegal

Por: Redação

Por pelo menos seis anos, Pony, uma orangotango fêmea, foi usada como “prostituta” em Bornéu, na Indonésia. Depilada a cada dois dias e maquiada diariamente, ela era forçada a praticar atos sexuais com homens até ser resgatada pela polícia e pela Borneo Orangutan Survival Foundation.

Devido às condições em que vivia, a sua pele irritada, coberta de feridas e propensa a picadas de mosquito. Ela ficava acorrentada em um quarto a espera de homens podiam escolher pagar para praticar a zoofilia.

Crédito: Borneo Orangutan Survival FoundationPony foi acorrentada e usada como escrava sexual por seis anos

“Quando descobri que ela era usada para prostituição e não apenas um animal de estimação, fiquei horrorizada”, relatou a conservacionista dinamarquesa Lone Droscher-Nielsen ao “Sun Online”.

“Talvez, em minha ingenuidade, nunca tivesse pensado que seria humanamente possível fazer uma coisa dessas com um animal.”

Resgate da orangotango

Foram necessários 35 policiais armados para salvar Pony de seu cativeiro.

“Eles foram ameaçados com armas e facas”, relatou a professora Michelle Desilets, que estava no local quando a orangotango foi salva. “A senhora chorou amargamente quando Pony foi levado embora.”

“Foi horrível. Ela era uma escrava sexual –era grotesco. Ela estava coberta de abscessos, e colocaram maquiagem e brincos nela”, revelou Desilets.

Crédito: Borneo Orangutan Survival FoundationPrimatas são vendidos por até R$ 75 mil no mercado ilegal

Pony foi resgatada em 2018 e agora vive em um centros de reabilitação, mas as marcas do passado traumático continuam a prejudicá-la. A história veio a público por meio do jornal “The Sun”. Hoje, a orangotango tem 21 anos.

Veja o que é considerado maus-tratos:

cachorro sozinho e abandonado atrás de grades
Crédito: IStock/@germi_pMaus-tratos não é só a violência física e a Lei entende que até negligência médica pode ser considerada crime

– Abandonar

– Ferir, mutilar ou envenenar

– Manter preso permanentemente em correntes

– Manter em locais pequenos e sem higiene

– Não abrigar do sol, da chuva e do frio

– Deixar sem ventilação ou luz solar

– Não dar comida e água diariamente

– Negar assistência veterinária ao animal doente ou ferido

– Obrigar a trabalho excessivo ou superior à sua força

– Utilizar animais em shows que possam lhe causar pânico ou estresse

– Capturar animais silvestres

– Promover violência como rinhas, farra-do-boi, dentre outros

Como denunciar maus-tratos

Primeiramente, certifique-se de que a denúncia é verdadeira. Falsa denúncia é crime, como descrito no artigo 340 do Código Penal Brasileiro. Não tenha medo: é possível denunciar de maneira anônima ou pedir sigilo dos dados no momento da denúncia.

Vale dizer também que o denunciante figura apenas como testemunha do caso, pois é o Estado quem denuncia na prática e é autor de todo o trâmite.

Caso a situação de maus-tratos esteja ocorrendo no momento do flagrante, a orientação é ligar no 190, pedir uma viatura no local e aguardar a chegada da polícia.

Se a situação for recorrente, é importante reunir evidências dos maus-tratos, como fotos, vídeos e áudios. “Quanto mais material tiver, maior embasamento técnico terá a denúncia para poder prosperar”, explica a advogada Monica Grimaldi. Já se o animal foi encontrado ou foi pego sendo espancado, a orientação é levá-lo ao veterinário, pedir os laudos e processar o autor dos maus-tratos, caso ele seja conhecido.

Em caso de abandono ou atropelamento, deve-se anotar a placa do carro para levantar a identificação do motorista no Detran. Envenenamentos de animais e ameaças também devem ser denunciados.

Monica Grimaldi lembra que essa é uma das maneiras de praticar cidadania. “As pessoas têm que entender que o animal não tem a quem recorrer, não tem voz. Denunciando, você estará salvaguardando a vida de um inocente. Mas sendo omisso, você está sendo conivente com o crime e, dessa forma, também é culpado”, afirma a advogada.

Dicas para facilitar a denúncia

  • Fotografe e/ou filme os animais vítimas de maus-tratos e, se possível, reúna testemunhas;
  • Ao fazer a denúncia, procure uma cópia por escrito do art.32 da Lei de Crimes Ambientais (Lei Federal n.º 9.605 de 1998), uma vez que há policiais que desconhecem o conteúdo dessa lei.

DENUNCIE maus-tratos:

Polícia Militar -190

Disque-Denúncia – 181

Ibama (no caso de animais silvestres)

Linha Verde – 0800 61 8080

www.ibama.gov.br/denuncias

Polícia Ambiental

Pelo site: http://denuncia.sigam.sp.gov.br/

Por e-mail: ambientaldenuncias@policiamilitar.sp.gov.br

Ministério Público Federal – http://www.mpf.mp.br/servicos/sac

Compartilhe:

Tags: #Maus tratos