Otaviano Costa se manifesta após fazer comentário transfóbico no ‘Vídeo Show’

Por: Redação

Na última terça-feira, dia 10, o Vídeo Show, da TV Globo, cometeu duas gafes ao mostrar total desconhecimento sobre questões de gênero.

Durante o programa, o ator Orã Figueiredo – que está contracenando com Juliana Paes, Leona Cvalli e Danielle Winits em “Totalmente Demais” –,  afirmou, aos risos: “Pra quem foi casado com um travesti em ‘Tapas e Beijos’, agora [está contracenando com] três mulheres lindas”. Achando graça no comentário, o apresentador Otaviano Costa repetiu: “Pra quem foi casado com uma ‘traveco’, tá bem demais”.

A postura dos artistas foi considerada depreciativa com as travestis, ainda mais se tratando de pessoas influentes que trabalham com comunicação e que deveriam dominar os termos corretos do glossário LGBT.

Para começar, A travesti é o correto, e não O travesti, como foi falado no programa. Travesti é feminino, a não ser que a pessoa expresse o desejo de ser tratado no artigo masculino. Além disso, o termo “traveco” é pejorativo e contribui no aumento da violência e do preconceito contra trans e travestis. O sufixo “eco” indica inferioridade, como quando são usadas, por exemplo, nas palavras “jornaleco”, “timeco”, etc.

Na tarde desta quarta-feira, dia 11, Otaviano Costa fez uma publicação no Instagram afirmando que fez uma “brincadeira infeliz” e pediu “mil desculpas por isso”.

No entanto, ele errou novamente ao chamar travestis pelo artigo masculino. E pisou na bola ao dizer que isso foi uma “brincadeira”. Ofender transexuais não é brincadeira, Otaviano. Você sabia que o Brasil é o país que mais mata transexuais e travestis em todo o mundo?

Confira seu depoimento no vídeo abaixo:

NÃO AO PRECONCEITO. ❤️?

Um vídeo publicado por Otaviano (@otacosta) em

Ainda ficou com alguma dúvida? Veja esta reportagem do Catraca Livre com 14 dicas para não ser transfóbico ;)

Compartilhe: