Para Damares educação domiciliar é ‘apelo da família brasileira’

A ministra promete enviar ao Congresso ainda este ano uma Medida Provisória para regulamentar o tema

Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos disse, nesta quinta-feira, 7, que o ensino domiciliar, defendido pelo governo Bolsonaro, é um “apelo da família brasileira”e que seu ministério está elaborando uma Medida Provisória (MP) sobre o tema, que será enviada ao Congresso.

Segundo Damares, sem a homologação do ensino domiciliar no país, as famílias que praticam estão na clandestinidade e isso precisa ser revisto. A ministra, porém, não explicou como descobriu essa informação. “Essa é uma proposta do nosso ministério para amparar essas famílias. Com essa aprovação, mais famílias vão aderir ao ensino domiciliar no Brasil”, garantiu.

Crédito: Wilson Dias/Agência BrasilA ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, participa de entrevista ao canal NBR

Essa, que deveria ser uma pauta do ministério da educação, foi assumida por Damares, pois quem está buscando ensino domiciliar hoje no Brasil são as famílias. “Não será uma coisa solta. As famílias que optarem por ensino domiciliar serão cadastradas. A escola vai saber, o Ministério da Educação (MEC) vai saber, o Ministério da Família vai saber. As crianças serão visitadas e passarão por avaliação.”

Sem citar países que obtiveram sucesso com a implementação desta modalidade de ensino e nem explicar como isso será algo positivo para o Brasil, Damares garantiu que ela é boa para as famílias brasileiras. “Se os pais puderem aplicar a educação domiciliar, a família estará junta”, defendeu.

No ano passado, o Supremo Tribunal Federal negou o reconhecimento da educação domiciliar pelo fato de não existir regulamentação para esta prática de ensino. O ministro do STF, Ricardo Lewandowski, se manifestou contrariamente argumentando que o pensamento constitucional é republicano e coletivo. De acordo com o magistrado, as crianças devem ouvir opiniões diferentes e isso está garantido na lei atual.

“A educação é simultaneamente um direito e um dever do Estado e da família, mas não exclusivamente desta. Deve ser construída coletivamente com a participação ativa da sociedade”, defendeu o ministro à época.

Compartilhe:

1 / 8
1
02:53
Suzano e Nova Zelândia: os impactos da exposição excessiva
A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, disse que o nome do atirador que matou 50 pessoas em uma mesquita em …
2
02:28
Posse de armas: Nova Zelândia dá exemplo de civilidade ao mundo
Após chocar o mundo nesta semana com o massacre de 50 pessoas em duas mesquitas de Christchurch, a Nova Zelândia …
3
03:10
Entenda o mistério por trás da boneca Momo
Ainda mais perturbador, o Desafio da Momo está de volta e desta vez a boneca aparece supostamente dentro de vídeos …
4
02:25
Bolsonaro apoia a construção de muro entre EUA e México
Em viagem diplomática a Washington, o presidente Jair Bolsonaro disse apoiar a construção do muro na fronteira entre EUA e México, …
5
01:42
A nova decisão do STF e o futuro da Lava Jato
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que a partir de então os crimes de lavagem de dinheiro e corrupção quando …
6
02:31
Atentado na Nova Zelândia: crimes transmitidos nas redes sociais
Mais um atentado terrorista chocou o mundo nesta sexta-feira, dia 15. Um atirador realizou ataques simuntâneos em duas mesquitas, deixando …
7
01:45
O lugar em que os atiradores de Suzano foram considerados heróis
Uma reportagem publicada nesta terça-feira, 14, pelo portal da Vice indica que os atiradores que invadiram a Escola Estadual Raul …
8
04:17
Últimas notícias sobre a tragédia em Suzano