Pitbull é morta a tiro por PM, que mandou dono ‘cobrar do Estado’

"O policial riu da minha cara. Ele disse que não iria colocar a cachorra na viatura e ainda falou: cobra do Estado", contou o dono da Pitbull

A pitbull Meg, de sete anos, morreu após ser atingida por um tiro no quintal de sua residência em Mafra, norte de Santa Catarina (SC), nesta quinta-feira (21). O dono da cadela, Mario Cesar Silva, registrou boletim de ocorrência e afirmou que o policial responsável pelo ato não prestou socorro.

Segundo nota do Comando da PM de Mafra, a informação preliminar é que o policial “perseguia um marginal através do pátio de residências, ocasião na qual teria sido atacado pelo cão“. A corporação disse que lamenta o ocorrido e que irá prestar esclarecimentos após investigações mais profundas.

Cadela Meg, morta a tiros por PM em SC
Crédito: Mario Cesar Silva | DivulgaçãoCadela Meg não resistiu ao ferimento de bala

De acordo com o dono, Meg passou por cirurgia, mas não resistiu à bala: “Eu estava saindo de casa quando soltei a cachorra no pátio. Ela faz companhia para minha avó, que mora com a gente, e tem síndrome do pânico. Ela tem medo de ladrão, de alguma coisa acontecer, e sentia mais segura com a cachorra“.

Ele conta que ouviu barulhos e gritos da avó, e quando voltou ao pátio viu um policial armado com as mãos para cima. “Eu fui primeiro atender a minha avó, que estava muito assustada. Daí minha mulher pegou um cobertor e começou a fazer pressão contra o ferimento da cachorra, mas estava saindo muito sangue“, relatou o dono.

Logo após, Marcos foi atrás do policial responsável pelo tiro: “O mesmo policial estava no carro. Peguei a cachorra ensanguentada e perguntei se eles podiam me ajudar, levar a cachorra no veterinário. Não sabia o que fazer. O policial riu da minha cara. Ele disse que não iria colocar a cachorra na viatura e ainda falou: cobra do Estado“.

Pitbull foi morta a tiro no peito em, Florianópolis, Santa Catarina
Crédito: Mario Cesar Silva | ReproduçãoPitbull foi morta a tiro no peito em, Florianópolis, Santa Catarina

Após levar Meg à cirurgia, Marcos registrou a ocorrência e PMs foram até a sua casa registrar o boletim. “Eles tentaram amenizar, dizendo que por ser dessa raça o policial tentou se defender. Mas a cachorra estava a três metros dele. Não tem que entrar e invadir a minha casa e sair dando tiro“, disse o homem.


Compartilhe:

1 / 8
1
20:44
São Paulo, capital da Cultura | Entrevista por Catraca Livre
Atuando como Secretário Municipal de Cultura em São Paulo desde janeiro desse ano, Alê Youssef ainda está no começo da …
2
07:26
STF e o limite da liberdade de expressão
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, anunciou em março a abertura de um inquérito para investigar casos …
3
01:03
Ex-presidente do Peru tenta suicídio após receber ordem de prisão
O ex-presidente do Peru Alan García morreu nesta quarta-feira,17, após atirar contra si mesmo em uma tentativa de suicídio em …
4
04:45
Famosos fazem desabafo sobre depressão
Recentemente, o humorista Whindersson Nunes publicou uma série de posts em sua rede social desabafando sobre um sentimento profundo de …
5
01:32
Quem disse que não dá para surfar na cidade?
A Surf House Brasil é o lugar perfeito para você quer aprender a surfar ou ficou com saudade de pegar …
6
01:45
Catedral de Notre Dame: 8 séculos de história queimam em Paris
Um incêndio de grandes proporções atingiu a Catedral de Notre Dame, em Paris. O local é um dos pontos turísticos …
7
02:29
Vídeo analisa a maior irresponsabilidade na vida de Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro mandou desativar os radares de rodovias federais. Será que é uma boa ideia? A Folha de São …
8
05:43
Entenda a proposta de Bolsonaro para a educação domiciliar
O presidente Jair Bolsonaro assinou o projeto de lei que pretende regulamentar a educação domiciliar no país. Se aprovada pelo …