Professora não responde cantada e apanha

Por: Redação

A professora de português Brunna Dias Ribeiro conta que voltava da Universidade Federal do Pernambuco, em Recife, para casa, quando um rapaz a cantou, repetidamente. “Morena gostosa! Morena linda!”, disse um deles. Sem resposta, ele voltaria, sem sucesso, a tentar chamar sua atenção: “Não vai me responder?”.

Brunna disse que preferiu não responder ao assédio, e que dois outros rapazes que acompanhavam o agressor começaram a rir da rejeição ao amigo. Conta, ainda, que o agressor se aproximou por trás e que, antes que pudesse perceber, acertou a lateral de seu olho, perto do rosto.

Caída no chão, teria levado novo golpe, perto da boca. Irado, Brunna relatou que o agressor pegou sua bolsa, jogou tudo o que tinha dentro dela no chão e levou os R$ 70 que encontrou.

“Eu me espantei com a repercussão do meu post, muito porque as pessoas dizem que, além de roubada, fui agredida. Não foi isso que aconteceu. Eu fui cantada e, como não correspondi, fui agredida e depois roubada. É por causa dessa cultura que acha normal esse tipo de coisa que essas violências continuam acontecendo”, protestou Brunna.

 

A jovem, que registrou ocorrência pela internet, neste sábado, 10, diz que seu grande choque foi a falta de ação das pessoas que presenciaram a cena. “Ninguém fez nada. Cheguei a ver um homem passar bem do lado e não fazer nada. Como ver uma covardia como essa e não fazer nada?”.

“Não quer continuar vivendo numa sociedade em que dizer “psiu” para uma mulher é normal ou mesmo toca-la, por qualquer desculpa que seja. Não existe justificativa até porque, no meu caso, eu estava completamente vestida, de calça jeans e blusa alta. O machismo venceu”, completou ela.

Compartilhe: