Cães ajudam na inclusão de crianças com autismo

Informar

Projeto ressignifica a relação dos cidadãos com o centro de SP

A equipe da Refúgios Urbanos não se contentou em ser uma imobiliária-conceito. Seu time de corretores são pessoas apaixonadas pelo urbano e engajadas em transformar a relação que temos com São Paulo

Não sei você, mas por aqui vivo esbarrando em pessoas que não vivem suas vidas apenas para seu trabalho, sua casa e seu próprio lazer. São pessoas que usam parte do seu tempo para criar projetos que amam e nos quais acreditam. Principalmente, projetos que se tornam bem comum. Com o próprio Cidade  Lúdica não é diferente: cada um de nós têm nossas suas rotinas e trabalhos, mas também focamos nossas energias para fortalecer aqueles que, assim como nós, querem construir uma melhor relação com a cidade.

O mesmo acontece com a equipe da Refúgios Urbanos. Poderia ser somente uma imobiliária que trabalha com uma curadoria aguçada de imóveis e, como o próprio nome diz, um olhar atento para encontrar um lar pra “fugir sem fugir” do caos da cidade.  O conceito por si só já é diferente,  e a rotina dos seus corretores poderia ser apenas a de descobrir imóveis com a cara dos clientes. Sim, poderia, mas eles não param por aí: suas vidas profissionais e pessoais se misturam em projetos que têm como foco a paixão que todos sentem pela cidade.

Centro de São Paulo
Centro de São Paulo

Matteo Gavazzi, Octavio Pontedura e Felipe Grifoni são os corretores da Refúgios Urbanos. Acima de tudo,  são pessoas que caminham – no sentido mais amplo da palavra – pela cidade, com olhares atentos e uma admiração profunda pela arquitetura paulistana.  No caminhar, olham para cima, olham para os lados, percebem os detalhes naqueles prédios antigos, desvendam histórias escondidas. A partir dessa relação, criam e compartilham projetos que nos permite redescobrir a cidade e consequentemente transformam a nossa relação com São Paulo.

Leia a reportagem na íntegra no site do Cidade Lúdica.

Compartilhe: