Quem ainda não tem acesso à energia elétrica no Brasil?

Estudos mostram que há demanda por energia de qualidade e limpa nas comunidades. E mais: fontes renováveis podem proporcionar economia para o país

Por: Instituto Clima e Sociedade | Comunicar erro

Basta carregar o computador ou o celular na tomada para ler este texto. Porém, esta não é a realidade de todas e todos no país. A energia elétrica ainda é uma “utopia” para algumas comunidades. Veja!

Sem geladeira para resfriar os alimentos. Sem iluminação para estudar a noite. Sem freezer para manter vacinas. Estima-se que cerca de dois milhões de brasileiros ainda estão sem acesso à energia elétrica. Este valor é calculado a partir de dados das distribuidoras de energia. Agora, o Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA) está buscando estimar quantos desses estão na Amazônia. Também é importante especificar onde mora a maioria dessas pessoas, o que é essencial para estimar os custos logísticos e definir a tecnologia apropriada para o atendimento. Além disso, uma hipótese é que a maior parte dessas pessoas se encontra em comunidades remotas com restrição ou até sem nenhum acesso a serviços básicos e onde, dificilmente, a rede elétrica chegará um dia.

aldeia indígena
O projeto Xingu Solar instalou 70 sistemas fotovoltaicos em 65 aldeias

Recentemente, o IEMA divulgou dois estudos, um técnico-econômico e outro abordando aspectos socioculturais, sobre o projeto Xingu Solar do Instituto Socioambiental (ISA), que instalou 70 sistemas fotovoltaicos em 65 aldeias do Território Indígena do Xingu (TIX). As pesquisas mostraram que há demanda por energia de qualidade e limpa nas comunidades. E mais: que fontes renováveis podem proporcionar, futuramente, economia ao país.

Anteriormente no Xingu, o abastecimento de eletricidade era feito quase exclusivamente por geradores comunitários a combustíveis fósseis. Eles são barulhentos, poluidores e de difícil manutenção. Os painéis fotovoltaicos foram instalados pelo ISA em edifícios comunitários como postos de saúde e escolas. Aumentando a oferta de eletricidade sem os problemas dos geradores a combustíveis fósseis, eles trouxeram benefícios como maior oferta de ensino noturno nas aldeias.

Por isso, os painéis solares foram bem-vindos. Eles são silenciosos e complementam os geradores quando há luz solar disponível. Se a tecnologia solar fosse utilizada pelo poder público para realizar o atendimento no TIX em conjunto com os geradores a diesel, isto traria uma economia de mais de R$ 360 mil por ano em subsídios federais custeados por toda a população brasileira no âmbito de políticas públicas como o programa Luz para Todos.

Cerca de dois milhões de brasileiros ainda estão sem acesso à energia elétrica

A Amazônia é responsável por quase um quarto da capacidade de geração de energia instalada no país, mas uma parte de sua população está no escuro. Seria possível incluir todos esses brasileiros. Basta dar acesso à geração de energia apropriada para os costumes e realidades locais de cada comunidade. Todas e todos do país ganhariam.

aldeia indígena
A Amazônia é responsável por quase um quarto da capacidade de geração de energia no país

Este texto foi produzido pela equipe do programa de energia elétrica do Instituto de Energia e Meio Ambiente. para ter acesso aos estudos mencionados no texto, faça o download gratuitamente das publicações e continue aprendendo!

Livros do Instituto de Energia e Meio Ambiente
Crédito: Andreia CoutinhoPublicações do Instituto de Energia e Meio Ambiente

Autor: Instituto Clima e Sociedade

O Instituto Clima e Sociedade (iCS) é uma organização filantrópica que capta recursos e fomenta projetos que contribuam para a construção de soluções para a crise climática. A missão do Instituto é fortalecer as condições que alavanquem práticas duradouras de mitigação e resiliência, rumo a um Brasil carbono neutro, com crescimento econômico e justiça social. O Instituto atua como uma ponte entre financiadores internacionais e nacionais (que são essencialmente fundações e organizações de cooperação bilateral ou multilateral) e parceiros locais (incluindo organizações da sociedade civil, academia, associações, e entidades governamentais).

Termos da rede:

Este conteúdo - assim como as respectivas imagens, vídeos e áudios - é de responsabilidade do usuário iCS da Rede Catraca.

O Catraca Livre disponibiliza espaço no site para que qualquer interessado possa contribuir com cidades mais acolhedoras, educadas e criativas, sempre respeitando a diversidade de opiniões.

As informações acima são de responsabilidade do autor e estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

1 / 8
1
02:23
Paulo Guedes diz que renunciará se Previdência virar ‘reforminha’
O ministro Paulo Guedes (Economia) voltou a afirmar que se houver uma mudança muito radical na proposta original da reforma …
2
03:08
XP: Avaliação negativa do governo supera a positiva pela 1ª vez
De acordo com pesquisa da XP/Ipespe divulgada nesta sexta-feira, dia 24, a avaliação negativa do governo do presidente Jair Bolsonaro …
3
01:35
Governo libera o uso de mais 31 agrotóxicos no campo
O Ministério da Agricultura liberou o uso de mais 31 agrotóxicos nas lavouras do país. Entre eles, há produtos que …
4
02:33
Foto de manifestantes nus contra Bolsonaro é falsa
A foto de uma suposta manifestação de pessoas peladas na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)  que viralizou nas redes …
5
01:37
Lobão rompe com Bolsonaro: “Esse cara não me representa”
Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o cantor e compositor Lobão falou sobre sua decepção com Jair Bolsonaro e …
6
01:33
Milícias digitais perseguem MBL após críticas a Bolsonaro
O MBL (Movimento Brasil Livre) deixou de ser aliado para se tornar o novo alvo das milícias digitais pró-Bolsonaro. O …
7
03:41
Manifestação revela descompasso entre o Bolsonaro e a direita
A manifestação marcada para o próximo domingo, dia 26, aparentemente, gerou um desequilíbrio entre os grupos de direita apoiadores do …
8
01:29
Barragem da Vale em Barão de Cocais pode romper a qualquer hora
A barragem da mina do Gongo Soco, localizada em Barão de Cocais, em Minas Gerais pode romper a qualquer momento. …