Racismo: como é crescer na periferia sendo negro

De acordo com o mapa da violência 2019, os negros são os mais afetados pela desigualdade social no Brasil

Por: Brian Alan Parris Comunicar erro

O Brasil é um país racista? Quando esta pergunta surge em algum debate, geralmente ela não é respondida com facilidade. No entanto, as estatísticas apontam altos índices de desigualdade, e os negros são os mais afetados.

O Atlas da Violência 2019 aponta que as mulheres negras ocupam mais da metade dos balanços sobre violência, o que reflete no assustador número de 66% do total de mortes causadas por homicídio em 2017. Para as mulheres não negras, a taxa foi de 1,7%. Em números gerais, 2017 foi ano mais violento desde 2007, com aproximadamente 13 assassinatos por dia, resultando em um total de 4.936 mulheres mortas.

Racismo: saiba como denunciar e o que fazer em caso de preconceito racial

Lázaro-Ramos-fala-sobre-racismo

Para cada indivíduo não negro morto em 2017, cerca de 2,7 negros foram assassinados, portanto, considerando homens e mulheres, 75,5% das vítimas de homicídios no Brasil eram pessoas negras. Além de todos os casos que chegam ou não até a mídia diariamente, os números mostram que existe uma diferenciação social e racial que precisa ser combatida urgentemente.

O ator Lázaro Ramos concedeu entrevista para a Catraca Livre recentemente e comentou sobre as dificuldades de driblar as barreiras sociais, onde por vezes, só o fato de sobreviver já é motivo de comemoração. “Eu sou preto, nordestino, eu sei o que é habitar esse lugar, sei da quantidade de potência que tem nesse lugar”, conta.

Fruto da periferia de Salvador, o ator acreditou em seus sonhos e fez valer as oportunidades que teve através da arte. Hoje, como um dos símbolos do empoderamento negro e periférico no país, faz questão de passar uma mensagem positiva para quem vem da mesma realidade.

Nascidos para ser gigantes

Luis Cunha e Diego Vinicius são grandes exemplos de pessoas que lidam com o racismo diariamente, mas que encontraram maneiras de vencer o sistema. “É tanta coisa que a gente passa, tantos desafios. Você tem que provar que é bom todo instante”, disse Luis, que é um modelo independente. Nascido e criado na zona leste de São Paulo, ele já enfrentou diversos casos de violência e abuso policial, no entanto, acredita que a união e as “palavras de carinho” trocadas entre os grupos – seja de negros ou não – podem ser a chave para triunfar sobre esse triste e preocupante tema.

Diego também foi criado na zona leste de São Paulo e está iniciando sua carreira como rapper. A música, assim como a arte, é uma ferramenta extremamente positiva de empoderamento, sobretudo o hip hop, criado e popularizado pelos negros.

O jovem fortalece as palavras do amigo Luis e exalta o papel das redes sociais na hora de divulgar histórias de superação. “Quando você faz uma exposição da sua imagem nas redes sociais, que é bem importante, muita gente vai se identificar, vai mandar força e vai se fortalecer ao mesmo tempo. É um grupo, a gente tá unido nisso”, disse o rapper.

Nós da Catraca Livre lutamos pela igualdade racial e social, sendo assim, não temos medo de levantar esse questionamento. Discutir esse tema e contar histórias de pessoas que vivenciam e superam as barreiras impostas pelo racismo e as dificuldades é uma missão que demanda muito cuidado, mas acima de tudo, vontade de tornar a sociedade um lugar melhor. Chega de mortes, chega de dor, chega de preconceito.

Por: Brian Alan Parris

1 / 8
1
08:59
Lobão analisa a relação de Bolsonaro com seus filhos
Um dos poucos nomes do meio artístico a apoiar a eleição de Jair Bolsonaro (PSL), o músico Lobão revelou recentemente …
2
08:31
Lobão explica como funciona a mente de Olavo de Carvalho
Em entrevista ao vivo no estúdio da Catraca Livre para o jornalista Gilberto Dimenstein, o cantor Lobão, ex-afeto de Olavo …
3
03:39
Alter do Chão sofre com incêndio de grandes proporções
As chamas que consomem uma área de preservação ambiental de Alter do Chão, em Santarém, no Pará, voltaram a se …
4
09:33
Glenn Greenwald: Os limites do jornalismo no governo Bolsonaro
Em entrevista a Gilberto Dimenstein, da Catraca Livre, Glenn Greenwald, fundador do The Intercept Brasil, site responsável pela série de …
5
03:50
Clã Bolsonaro nomeou familiares para cargos de confiança
Uma reportagem publicada pela revista Época mostra que 17 familiares de Ana Cristina Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro,  foram …
6
10:59
David Miranda x Coaf: Glenn Greenwald fala sobre a investigação
Uma matéria publicada pelo jornal O Globo deu destaque para um relatório do Coaf, em que o deputado federal David …
7
05:12
Glenn Greenwald fala qual foi a matéria mais importante da #VazaJato
Qual foi a matéria mais importante da #VazaJato até agora? Quem responde essa pergunta é o jornalista Glenn Greenwald, do …
8
04:32
É possível apoiar a #VazaJato ao mesmo tempo que a Operação Lava Jato?
O jornalista Glenn Greenwald, fundador do site The Intercept Brasil, deu uma longa entrevista ao jornalista Gilberto Dimenstein sobre a …