Últimas notícias:

Loading...

Racismo: Menino de 11 anos chora e denuncia técnico de futebol em GO

“Ele falava assim toda hora: 'Fecha o preto, fecha o preto, fecha o preto aí'. Eu guardei para falar no final. Ele falou um monte de vezes”, disse o menino

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Veio a público nesta sexta-feira, 18, que um vídeo em que um menino de 11 anos denuncia que foi vítima de racismo durante um campeonato de futebol em Caldas Novas, no sul do estado de Goiás. Ele fala que o treinador adversário destilou frases de cunho racismo contra ele como “fecha esse preto”. A gravação foi feita quando o menino saiu do campo chorando muito e conta a situação.

Racismo: Menino de 11 anos chora e denuncia técnico de futebol em MG
Crédito: DivulgaçãoRacismo: Menino de 11 anos chora e denuncia técnico de futebol em MG

“Ele falava assim toda hora: ‘Fecha o preto, fecha o preto, fecha o preto aí’. Eu guardei para falar no final. Ele falou um monte de vezes”, disse o menino, chorando bastante.

O caso ocorreu na última quarta-feira, 16, em uma partida da Caldas Cup. O técnico que está sendo denunciado como o autor das ofensas racistas, Lázaro Caiana, disse que a denúncia é uma “inverdade”.

A organização do evento em questão postou na rede social que repudia qualquer atitude racista ou discriminatória que acontece dentro ou fora do evento. “Afirmamos que não pactuamos com qualquer atitude discriminatória que venha a ser cometida na competição, independente de quem venha cometer tal ato. A organização estará sempre presente para que os fatos sejam apurados pelas autoridades competentes para que a diferença de cor seja só na camisa”, diz o comunicado.

Adriano Santos, diretor de relacionamento do Uberlândia Academy, time onde o menino é jogador, disse que a criança saiu do campo chorando mesmo depois da vitória sobre o time adversário.

Alguns pais viram [ o menino chorando] e foram ver o que estava acontecendo. Ele, então, disse que tinha sido chamado de preto e apontou para o treinador adversário, falando que tinha sido ele”, contou o diretor do time.

O diretor do time do garoto afirmou que registrou o caso junto à Polícia Militar e solicitou um pedido de desculpas e retratação do treinador do time adversário, porém não aconteceu. “Eu liguei para os pais dele, que estavam em Minas Gerais e estão vindo ficar com ele. Também vamos à delegacia”, afirmou.

O técnico acusado de racismo chegou a ir na delegacia para registrar sua parte sobre o caso. “Ninguém da comissão técnica ou atleta do nosso time falou nada com nenhum atleta da equipe adversária ou comissão técnica. Nada foi relatado em súmula pelos árbitros e pelo coordenador”, disse.

Lázaro falou que, na realidade, ele que foi vítima de injúrias raciais vindas do clube adversário e que a publicação foi publicada como forma de prejudicar a imagem dele e a do clube que ele trabalha.

A Liga Desportiva Região das Águas Thermais informou que, sob a denúncia realizada, foi decidido que o treinador será provisoriamente suspenso da competição, até que sejam esclarecidos os fatos perante a lei.

Como denunciar racismo

Casos como o do garoto estão longe de serem raros no Brasil, mas para que eles diminuam, é fundamental que o criminoso seja denunciado, já que racismo é crime previsto pela Lei 7.716/89. Muitas vezes não sabe o que fazer diante de uma situação como essa, nem como denunciar, e o caso acaba passando batido.

Para começar, é preciso entender que a legislação define como crime a discriminação pela raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, prevendo punição de 1 a 5 anos de prisão e multa aos infratores.

A denúncia pode ser feita tanto pela internet, quanto em delegacias comuns e nas que prestam serviços direcionados a crimes raciais, como as Delegacias de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), que funcionam em São Paulo e no Rio de Janeiro. Saiba mais aqui.

Compartilhe:

Tags: #Racismo