Record culpa vítima em manchete de feminicídio e é criticada

Emissora dos bispos divulgou chamada falsa, que exime assassino da culpa

Por: Redação

A Record TV recebeu uma enxurrada de críticas nas redes sociais depois de colocar a culpa de um caso de feminicídio na vítima que sofreu as agressões.

Tudo começou quando o programa “Cidade Alerta” noticiou o caso da jovem Isabela Miranda de Oliveira, de 19 anos de idade, que teve 80% do corpo queimado, durante um churrasco de Carnaval em Franco da Rocha, na Grande São Paulo.

record tv feminicídio
Crédito: Reprodução/Record TVCaso da morte de Isabela foi distorcido para que a vítima aparecesse como culpada em reportagem da Record TV

A manchete do policialesco dizia: “Jovem tem 80% do corpo queimado ao ser flagrada na cama com cunhado”. Acontece que, além de a chamada jogar a culpa do crime na vítima, ela ainda é falsa, pois a garota não dormiu com ninguém e suspeita-se que ela tenha sido abusada.

Ao longo da reportagem, a emissora noticiou o que, de fato, teria acontecido: a moça estaria embriagada e procurou um dos quartos da casa para descansar. Contudo, o namorado dela, Willian Felipe de Oliveira Alves, 21 anos, flagrou a jovem ao lado do cunhado, que estava nu e abusava da garota. Ele, então, agrediu Isabela com a ajuda da irmã e na sequência ateou fogo no corpo da namorada.

Isabela teve 80% do corpo atingido pelo fogo e morreu. O suspeito foi preso em flagrante pela Polícia Militar.

Embora os fatos reais tenham sido abordados na notícia, a manchete tendenciosa causou revolta entre os internautas, incluindo o deputado federal David Miranda (PSOL-RJ), que usou as redes sociais para criticar a postura da Record TV.

“MATÉRIA ABSURDA DA RECORD. A moça foi pro quarto deitar, o cunhado deitou nu ao lado da vítima enquanto ela dormia, o namorado da vítima viu a cena, espancou a garota e tacou fogo em 80% do corpo. Como sai a notícia: ‘Jovem é flagrada na cama com o cunhado’. O que a Record está fazendo?”, escreveu.