RJ registra maior número de mortes cometidas por policiais da história

As forças policiais do Rio de Janeiro tem matado, em média, cinco pessoas por dia, desde o início de 2019

Por: Redação

Segundo dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública, o estado do Rio de Janeiro registrou, em 2019, o maior número de mortes por confrontos com policiais da história.

O instituto aponta que entre janeiro e outubro deste ano, policiais em serviço mataram 1.546 pessoas, superando o ano passado (2018), quando os agentes de segurança pública mataram 1.534 mortes. Desde 1998 o Instituto de Segurança Pública faz esta estatística.

rio janeiro mortes policiais
Crédito: Istock/Fernando QuevedoRJ registra maior número de mortes cometidas por policiais da história

As forças policiais do Rio de Janeiro tem matado, em média, cinco pessoas por dia, desde o início de 2019.

Se mantiverem o nível de letalidade registrado até aqui, devem chegar ao patamar inédito de 1.800 mortes. Atualmente, uma em cada três mortes violentas ocorridas no estado são cometidas por policiais.

O governador Wilson Witzel (PSC-RJ) defende a política de confronto fortemente armado e agressivo dentro das comunidades e bairros pobres do estado, mesmo que pra isso, os policiais estejam matando crianças, como já mataram dez, só neste ano.

Desde a campanha eleitoral de 2018, Witzel defende essa política que implementa de confronto contra o tráfico de drogas. Em diversas oportunidades, o governador defendeu o que chamou de “abate” de criminosos portando armas de uso restrito, como fuzis. Também vem defendendo o uso de snipers para matar criminosos.

10 MANCHETES EM QUE A POLÍCIA SE CONFUNDE E MATA INOCENTES

Vale ressaltar que pela lei brasileira, a menos que seja para defender a própria vida, policiais não tem licença para matar, apenas para prender. Quando é a vida de pessoas civis em risco, o policial deveria apenas dar tiro para imobilizar e não matar.

Seguindo a tendência nacional, o Rio vem registrando queda no número de homicídios dolosos. Até outubro, foram 3.342 vítimas, uma queda de 20,9% em relação aos 4.226 casos no mesmo período de 2018.

Se considerado o indicador letalidade violenta —que soma os registros de homicídios dolosos, mortes por intervenção policial, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte— a redução foi de 12,5%: de 5733 vítimas em 2018 para 5017 em 2019.

1
A repercussão dos ataques machistas à jornalista Patrícia Campos Mello
No final da última semana, Hans River do Rio Nascimento foi chamado para prestar depoimento na CPMI das Fake News. …
2
Governo Bolsonaro libera pesca em áreas de conservação ambiental
Uma portaria do Instituto Chico Mendes (ICMBio), órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, autorizou a pesca esportiva e amadora …
3
Chuva forte deixa São Paulo debaixo d’água
A chuva que começou ontem não deu sinal de trégua e fez São Paulo amanhecer debaixo d’água nesta segunda-feira, 10. …
4
Coronavírus: aviões da FAB vão retirar brasileiros de Wuhan, na China
Dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) decolaram nesta quarta-feira, 5, em direção a Wuhan, na China, para retirar os …
5
BBB20: Mulheres decidem o destino de Pétrix Barbosa
A união das mulheres  decidiu o destino de Pétrix não apenas no Big Brother Brasil 20, mas também fora da …
6
Damares Alves: abstinência sexual, protesto e contradição?
Por que este grupo de mulheres deu as costas para a ministra Damares Alves enquanto ela defendia sua política de …
7
Bolsonaro e a demissão do secretário que viajou com jato da FAB
O presidente Jair Bolsonaro anunciou em sua conta no Twitter que vai tornar sem efeito a nomeação de José Vicente …
8
Visibilidade trans: a história de Thais de Azevedo
O que é violência para você? Para Thais de Azevedo essa pergunta resume uma trajetória de vida. Como mulher trans, …