Série fotográfica troca animais por pessoas na fila de matadouro

A campanha "Ocultos" quer provocar uma reflexão sobre o consumo de carne

Por: Redação

Você já parou para pensar sobre o processo de produção da carne que consome no dia a dia? Para provocar uma reflexão sobre o tema, o fotógrafo de 25 anos Hugo Fagundes, vegano e morador de Limeira, criou o ensaio “Ocultos“, no qual humanos foram colocados no lugar de animais na fila de um antigo matadouro no interior de São Paulo.

A série, com homens e mulheres simulando o caminho para o abate, é ainda mais chocante por causa das frases que lembram a exploração dos animais. No rodapé das fotos, o jovem informa, entre outras coisas, que foram gastos 300 dias de estudo para a produção do material, tempo equivalente a 4.717.440.000 animais mortos para o consumo humano.

A série reflete sobre o consumo de carne

Em entrevista ao Catraca Livre, Hugo conta que o projeto foi realizado para seu trabalho de conclusão no curso de Design Gráfico. “Como sou fotógrafo há alguns anos, usei todo o conhecimento para divulgar a ideia do veganismo, pois o movimento envolve muito mais aspectos do que o simples ato de não comer carne”, relata.

O processo para a produção das fotos foi baseado em uma monografia, com diversos estudos relacionados à comunicação, publicidade, semiótica, fotografia e veganismo.

Assim que o material foi escrito e aprovado pela banca da universidade, o fotógrafo deu início à segunda parte para registrar as imagens, fase que também foi aprovada pelos professores. Agora, com a ótima repercussão, Hugo pretende dar continuidade ao projeto.

Veja mais imagens da campanha:

Compartilhe: