Últimas notícias:

Loading...

SP: Médica é acusada de não atender idosa e agride mulher em hospital

Um vídeo do momento da agressão foi gravado pelo neto da idosa

Por: Redação
Ouça este conteúdo

Uma médica foi acusada de se recusar a atender uma idosa de 96 anos no Hospital Heliópolis, em São Paulo e agredir uma mulher, no último dia 17. O Boletim de Ocorrência foi registrado no último dia 23. As informações são do Uol.

Crédito: ReproduçãoSP: Médica é acusada de não atender idosa e agride mulher em hospital

De acordo com os familiares de Chiarella Aurora, a idosa chegou ao pronto-socorro da unidade de saúde de ambulância e necessitava de atendimento médico urgente.

A denúncia por desrespeitar o Estatuto do Idoso (Art. 97 – Lei nº 10.741) ocorreu após a médica Silvia Haber Duellberg, que estava de plantão, supostamente se recusar a atender Chiarella Aurora, de 96 anos, que não se sentia bem e estava com dificuldades para andar. A médica estava em horário de almoço quando a idosa chegou ao hospital.

Quando a profissional retornou, ela passou a realizar os atendimentos no consultório sem máscara. Segundo Anderson, a médica justificou que estaria imunizada contra a covid-19 e por isso não precisaria do equipamento de proteção.

Em entrevista ao Uol, Anderson contou que pediu para a médica atender sua avó com prioridade, mas recebeu um “não” como resposta. “Perguntei se ela conhecia o Estatuto do Idoso e ela disse ‘não’, que ‘aqui não existe isso, ela vai ser a última das últimas da fila’”, afirmou o neto, que passou a gravar as reações da médica.

Duellberg então pediu para que ela saísse dali. Logo depois, a médica foi em direção à Isabela e a agrediu. “Eu disse: ‘Se você gosta das coisas certas, você deveria usar máscara’. Aí ela me disse: ‘Enquanto você estava em casa, eu estava me fode*** nesse lugar’. Ela começou a vir para cima de mim, arrancou meu óculos e puxou meu cabelo”, contou Isabela.

Nas imagens, é possível ver os seguranças separando a briga.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde informou que pediu o afastamento imediato da médica enquanto o caso é investigado e repudiou a conduta da profissional.

Compartilhe: