Transfobia matou mais de 80 pessoas no Brasil no 1º semestre

Transfobia mata: no país com maior número de travestis e transexuais assassinadas no mundo, novo levantamento expõe as consequências da intolerância

Por: Redação

Todos os dias, o mito da cordialidade do brasileiro é desfeito a cada nova estatística que expõe sua intolerância: o país dos genocídios não poupa suas vítimas, e, sob a égide da transfobia, segue o banho de sangue que, apenas no primeiro semestre 2018, matou mais de 80 pessoas trans e travestis. Com informações do site NLucon.

Os números, divulgados pela Antra (Associação Nacional de Travestis e Transexuais) e IBTE (Instituto Brasileiro Trans de Educação), retratam a violência sofrida pela população trans em todo o país.

Crédito: Tomaz Silva/Agência BrasilRio de Janeiro – Manifesto realizado na praia de Copacabana lembra as vítimas da transfobia no Brasil. (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Na região Nordeste registrou-se o maior número: 33 assassinatos. Seguida da região Sudeste, com 25 mortes, Norte, 10, Sul e Centro-Oeste com nove ocorrências.

Para chegar aos dados, a Antra levou em conta casos que foram divulgados pela mídia, nas redes sociais ou baseado em informações levantadas por redes que atuam na área. Sendo assim, pondera-se, que os números possam ser ainda maiores. “Podemos dizer que 86 assassinatos é um índice elevado e não temos visto nenhuma ação efetiva do governo para combater a violência que vem crescendo cada vez mais nos últimos 10 anos contra a nossa população”, analisa a pesquisadora Bruna Benevides, da Antra.  Confira a matéria completa no site NLucon. 

Compartilhe: