‘Transformei a dor da perda em uma ação solidária’, diz mãe

Após a morte da filha por câncer, Tatiana Piccardi fundou a AHPAS, uma instituição que oferece transporte a crianças em fase de tratamento contra a doença

Por: Heloisa Aun | Comunicar erro
Crédito: Divulgação / AHPASTatiana Piccardi e a filha Helena

“Em 1997, eu, meu então marido e nosso filho mais velho, Guilherme, vivemos uma situação bastante complicada. A Helena, nossa filhinha que tinha 5 anos na época, teve um tumor cerebral muito grave e irreversível, e a gente teve que lidar com isso. Não foi nada fácil, mas, por esses milagres que a gente não explica muito bem, foi possível transformar a dor da perda em uma ação solidária”, afirma a professora Tatiana Piccardi, de 58 anos.

Quando a filha foi diagnosticada com câncer, a mãe ficou ao seu lado durante todo o tratamento. Acompanhava Helena diariamente até o Instituto da Criança no Hospital das Clínicas, onde entrou em contato com outras mulheres e crianças na mesma situação. Nessa época, percebeu algo impactante: muitas pessoas vinham de longe com os filhos para realizar o procedimento e viviam dificuldades no transporte público.

Saiba onde encontrar atendimento psicológico grátis em São Paulo

“Conversando com médicos e assistentes sociais, eles falaram que a questão do deslocamento é um problema seríssimo no tratamento do câncer. Os pacientes mais pobres gastam horas no percurso, e as crianças são expostas a todo tipo de vírus e bactéria por causa do contato, sendo que já estão com imunidade baixa. Isso faz com que cheguem ao hospital muito menos dispostas a enfrentar o que têm que enfrentar. Muitas abandonam o tratamento, inclusive”, explica Tatiana.

Dois anos depois da morte de Helena, a mãe transformou o luto em luta: fundou, ao lado do então marido, o professor Luiz Maurício, a AHPAS (Associação Helena Piccardi de Andrade Silva), uma instituição que oferece transporte a crianças e adolescentes que estão em fase de tratamento contra o câncer. “Foi uma forma de homenagear a nossa filha e aprender com o legado da existência dela”, conta ela.

Crédito: Ygor Siqueira / AHPASA AHPAS oferece transporte a crianças em tratamento

Segundo Tatiana, o projeto foi muito apoiado pelos médicos, tanto por ajudar na adesão ao tratamento, como também por colaborar com a prática atual, do “hospital dia”, que mantém a internação apenas em último caso. Para fazer o transporte, a família começou com algo modesto e sem muitos recursos. “A gente precisava de alguém com disponibilidade de tempo e um carro para levar um ou dois pacientes. E foi isso o que nós fizemos. Usamos o nosso próprio carro, e eu comecei a trabalhar como voluntária a maior parte dos meus dias”, relata.

De acordo com a professora, na época, as pessoas não entendiam o transporte como serviço social e parte da saúde. Para ela, não adianta ter o melhor médico, o melhor hospital e o melhor protocolo de tratamento contra o câncer se a criança não chega ou se desiste durante o processo.

Hoje, depois de 19 anos desde a fundação da AHPAS em 1999, a ONG tem uma pequena frota de veículos e inúmeros voluntários, além de relatos emocionantes de como foi a experiência de receber esse carinho no transporte. “Fomos reconhecidos hoje tanto na assistência social como na saúde, mostrando a importância do transporte na oncologia pediátrica e como parte do tratamento”, diz a mãe.

Crédito: Anderson Cabral / AHPAS
Crédito: Roberta Attene / AHPAS
Crédito: Roberta Attene / AHPAS

No carro da associação, as crianças e adolescentes, moradores ou não de São Paulo, encontram saquinhos adequados a enjoo com vedação para usarem quando quiserem, podem dormir se estiverem cansados e levar um acompanhante. Além disso, um profissional do Programa Educação e Movimento a Bordo, da instituição, participa do transporte, dando apoio à família em todos os sentidos e propondo atividades lúdicas e educativas para aquelas crianças que estão mais dispostas.

Além do transporte terrestre, a organização oferece transporte aéreo, que é o mais indicado quando a criança reside em outra cidade no país e precisa fazer o tratamento na cidade de São Paulo.

“Eu sou mãe da Helena e virei ‘meio mãe’ de todas as crianças que já passaram pela ONG. Hoje a AHPAS tem dezenas de mães maravilhosas no dia a dia promovendo a garantia de que esse cuidado permanecerá e que essas crianças receberão o que merecem. Eu sou a mãe inicial e hoje temos tantas outras. O amor é a base de tudo”, finaliza Tatiana a respeito da importância do trabalho da AHPAS em todos esses anos.

Autor: Heloisa Aun

Feminista, vegetariana e repórter de Cidadania no Catraca Livre. ("nossas costas / contam histórias / que a lombada / de nenhum livro / pode carregar" - Rupi Kaur)

1 / 8
1
03:46
‘Pretendo beneficiar um filho meu, sim’ diz Bolsonaro sobre embaixada
Em uma transmissão ao vivo pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a nomeação de seu filho, …
2
03:15
Num ato de coragem, MBL pede desculpas publicamente
O jornalista Gilberto Dimenstein e a Catraca Livre já foram diversas vezes vítimas das milícias digitais do MBL com as …
3
03:04
O real motivo do ataque de Bolsonaro ao filme de Bruna Surfistinha
Jair Bolsonaro decidiu atacar o filme realizado por Deborah Secco sobre a ex-prostituta Bruna Surfistinha. Motivo oficial: o filme, usando …
4
02:13
Entenda os desdobramentos do caso Tabata Amaral no PDT
O PDT suspendeu a deputada federal Tabata Amaral e outros sete parlamentares que votaram a favor da reforma da Previdência, …
5
02:03
Incêndio em estúdio de animação em Japão deixa dezenas de mortos
Dezenas de pessoas morreram durante um incêndio criminoso que tomou conta do estúdio de animação da Kyoto Animation, na cidade …
6
02:19
Barragem abandonada corre risco de rompimento no interior de SP
Uma matéria publicada pelo G1 alerta para o risco de rompimento da barragem de água em Iaras, no interior de …
7
02:30
O que significa a gargalhada de Caetano Veloso?
Um vídeo do cantor Caetano Veloso gargalhando está viralizando nas redes sociais. O motivo da piada é a entrevista que …
8
01:51
Site ‘Não me Perturbe’ permite bloquear ligações de telemarketing
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) lançou o Não me Perturbe, site que permite bloquear ligações de telemarketing. O sistema …