Veja onde tem banheiros nas linhas de trem e metrô de São Paulo

O 32xSP percorreu os principais terminais para verificar as condições do local

Por: Agência Mural
Crédito: Priscila Gomes / 32xSPPara usar o banheiro, o passageiro precisa passar pelas catracas do metrô

Por Priscila Gomes, do 32xSP

O 32xSP percorreu algumas linhas de metrô, trem e terminais de ônibus para verificar a localização e a situação dos banheiros públicos na capital paulista.

Na estação Luz, o banheiro fica entre o percurso da linha 4-amarela do metrô de São Paulo e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). “Eu uso diariamente e sempre está limpo, as pessoas precisam conservar a limpeza. Tem papel higiênico e papel para enxugar as mãos. Nunca está fedendo”, elogia a vendedora Tania Ferraz Lima, 54.

Para usar o banheiro, o passageiro precisa passar pelas catracas do metrô, linha amarela, azul ou da CPTM.

De acordo com a CPTM, a companhia possui 92 estações. Desse total, 86 contam com sanitários públicos para usuários, sem cobrança de tarifa para utilização, ou seja, 93% do sistema dispõe de banheiros. Todas as estações das linhas 7-rubi, 9-esmeralda e 10-turquesa têm sanitários públicos.

Ainda segundo a empresa, neste mês, foram entregues os sanitários reformados da estação estudante, na linha 11-coral, e no primeiro semestre de 2018 serão entregues, na linha 8-diamante, os sanitários das estações Jardim Silveira e Jardim Belval. Com isso, a CPTM passará a ter 96% das estações equipadas com banheiros públicos.

Crédito: ReproduçãoDas 92 estações da CPTM, 86 contam com sanitários

Já na Sé, estação central mais movimentada da capital, que faz integração com as linhas azul e vermelha, a situação dos banheiros não estava tão bem quanto na Luz. Por lá, o sanitário fica do lado de fora da estação.

“É a primeira vez tentei usar esse banheiro, e desisti. Está uma situação horrorosa, fedido. Têm moradores de rua tomando banho lá dentro, molhando todo o chão”, reclama o técnico em eletrônica, Ricardo Oma, 45.

No banheiro feminino da mesma estação, o cenário não é diferente. “Está muito bagunçado lá dentro. Tem crianças tomando banho dentro da pia onde lavamos as mãos, então o piso está todo molhado. Dentro do vaso está limpo, mas do lado de fora muita zona”, diz a vendedora Suzi Freitas, 45.

Segundo assessoria de imprensa do Metrô, os usuários que observarem comportamentos inadequados ou constatarem irregularidades podem enviar mensagem de texto para o aplicativo de smartphone Metrô Conecta ou para o SMS Denúncia do Metrô (9 7333-2252).

De acordo com a empresa, a partir das indicações e reclamações, é possível realizar ações imediatas dos agentes de segurança, além de garantir total anonimato ao denunciante. A comunicação ainda pode ser feita diretamente para qualquer empregado da companhia.

No terminal de ônibus Carrão, na zona leste, todos os usuários elogiaram o serviço e a limpeza dos sanitários.

“Uso esse banheiro e nunca o vi com mau cheiro. Sempre tem papel higiênico, papel para enxugar as mãos e ainda sabonete líquido. A moça da limpeza fica o tempo inteiro limpando. É ótimo”, ressalta a atendente Stella Izilda Sdano, 23.

O banheiro masculino também não recebeu críticas. “Esse sanitário sempre está limpo, mas faz uns anos que tiraram o mictório e por isso, às vezes, fica uma fila para usar. Mas a limpeza é impecável”, elogia Valdenor Nascimento Gomes, 43, marceneiro.

De acordo com a SPUrbanuss (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo), todos os terminais urbanos contam com banheiros, e no momento não há nenhuma instalação sanitária em reforma. Todas permanecem abertos 24h. Explicam ainda que os sanitários possuem uma rigorosa rotina de limpeza, que ocorre durante o período de funcionamento.

“Já usei banheiros dos terminais Santo Amaro, Varginha. De Santo Amaro é péssimo, quando passa do lado de fora, a gente já sente o mau cheiro, nunca tem papel. Já no de Varginha, a situação é melhor e sempre tem papel. Usei também o de Grajaú e a situação é igual o de Santo Amaro”, reclama a auxiliar Renata Freitas Nascimento, 33, moradora da zona sul.

Banheiros públicos nos terminais de ônibus, estações de trem e metrô

Os terminais rodoviários da capital, Tietê, Barra Funda e Jabaquara, possuem conjuntos de sanitários femininos e masculinos e são de uso gratuito.

O Tietê oferece quatro conjuntos de sanitário, sendo três conjuntos de cada, no piso mezanino, e um conjunto no piso desembarque. “A única reclamação de tenho para fazer desses banheiros é que são muito cheios, mas sempre estão limpos”, diz a costureira Maria das Graças Oliveira, 52.

No terminal Rodoviário Barra Funda são dois conjuntos feminino e masculino, próximos à área de conveniência do terminal, e mais dois conjuntos na área de embarque ao lado das plataformas 21 e 22. Em ambos os terminais também é oferecido o serviço de banho. “Uso esse banheiro da Barra Funda quase todos os dias e sempre está limpo”, elogia Henrique Silva, 30, repositor.

No terminal intermunicipal Jabaquara são dois conjuntos femininos e masculinos localizados logo no acesso às bilheterias. Os três terminais rodoviários possuem sanitários feminino e masculino e com estrutura para atender pessoas com restrição de mobilidade.

“Esse banheiro sempre está muito bem limpo, não tenho do que reclamar, fica um funcionário fazendo limpeza o tempo todo”, relata Michelle Oliveira, 19, estudante.

Os sanitários ficam à disposição dentro do horário de funcionamento dos terminais. Tietê e Barra Funda funcionam 24 horas, e o horário de funcionamento do Jabaquara é das 4h à 1h.

SERVIÇO:

Na CPTM, em caso de reclamação, os usuários podem procurar o Serviço de Atendimento ao Usuário por meio do número 0800 055 0121.

Já no Metrô, os usuários que observarem comportamentos inadequados ou constatarem irregularidades podem enviar mensagem de texto para o aplicativo de smartphone Metrô Conecta ou para o SMS Denúncia do Metrô (9 7333-2252).

Nos terminais de ônibus, o usuário pode ligar para 156.

Confira o conteúdo neste link.

Compartilhe:

1
Visibilidade trans: a história de Thais de Azevedo
O que é violência para você? Para Thais de Azevedo essa pergunta resume uma trajetória de vida. Como mulher trans, …
2
Qual o impacto do feminismo na periferia ? Luana Hansen dá a letra
Dj, MC e produtora musical, Luana Hansen fez e faz história no movimento hip hop há, pelo menos, duas décadas. …
3
Brumadinho: relatos lembram a maior tragédia socioambiental do Brasil
Há um ano, a cidade de Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte (MG) viveria um pesadelo difícil de ser esquecido. Era …
4
Denúncia contra Glenn Greenwald é um ataque à liberdade de imprensa?
Uma denúncia realizada pelo Ministério Público Federal foi vista como um ataque direto à liberdade de imprensa no Brasil. O …
5
9 pontos polêmicos que Sergio Moro se esquivou no Roda Viva
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, foi o primeiro entrevistado da nova temporada do programa Roda Viva, …
6
‘Noivado’ de Regina Duarte com Bolsonaro divide opiniões
“Nós vamos noivar, vou ficar noiva, vou lá conhecer onde eu vou habitar, com quem que eu vou conviver, quais …
7
A queda: entenda a polêmica que custou o cargo de Roberto Alvim
Após praticamente reproduzir um discurso do ministro nazista Joseph Goebbels, o ex-secretário de Cultura, Roberto Alvim, protagonizou uma polêmica que …
8
Impunidade de Victor não é caso isolado no Brasil de Bolsonaro
Victor Chavez, cantor sertanejo da extinta dupla Victor e Léo, foi condenado por agredir a esposa grávida de quatro meses …