10 discos nacionais recém-lançados (e incríveis) para baixar gratuitamente

Por: Redação

Chegou a hora de atualizar suas playlists com excelentes discos brasileiros. Vasculhamos os principais veículos especializados em música e comportamento para mapear os lançamentos mais elogiados dos últimos meses. O resultado você confere a seguir: 10 álbuns disponibilizados para audição ou download gratuitamente por artistas de diferentes partes do país. Do hiphop ao indie rock, há gêneros musicais para todos os gostos.

1) “Selvática”, Karina Buhr – (download)

Por que baixar? “Com a capa do álbum recentemente censurada pelo Facebook e versos que dialogam com diferentes aspectos do turbulento cenário político/cultural brasileiro, Selvática sobrevive como um trabalho que se estende para além dos limites e versos de cada canção. Curioso pensar que parte dos conceitos utilizados por Buhr para a construção do trabalho foram compilados da bíblia, textos escritos há mais de dois mil anos, prova de que Selvática não é apenas um disco provocativo, atemporal, mas sim necessário.” – Miojo Indie

2) “A Mulher do Fim do Mundo”, Elza Soares – (audição)

Por que baixar? “Poucas vezes a voz de Elza soou tão negra. Que o disco comece à capela, com “Coração”, não é nenhuma casualidade. O engajamento com o repertório cruel, de barulho feio, dos meninos é total. A voz que se afoga nos versos “me deixem cantar até o fim” de “Mulher do fim do mundo” é de angustiar o pacífico ouvinte com seus fones de ouvido. A vivência da rua que a cantora acumulou em décadas reveste de luxuosos andrajos canções como “Maria de Vila Matilde” e o afrobeat “Firmeza?!” — a gíria pode mudar, sim, mas para quem é de verdade, para quem já mordeu cachorro por comida, não tem essa de tempo ruim.” – O Globo

3) “Frou Frou”, Bárbara Eugênia – (dowmload)

Por que baixar? “Bárbara Eugenia vem elegante como um trocadilho dadaísta, mas sua raiz é passional, quente, latina, novelesca. Ela abre uma fenda interdimensional para um universo minúsculo, um inferninho discothèque abrasileirado que daria continuidade à casa noturna carioca Noites Tropicais ao misturar as atmosferas de um Studio 54 à brasileira com todo o espectro emocional de programas de calouros e da Discoteca do Chacrinha nos anos 80.” – Trabalho Sujo

4) “Luiza Lian”, Luiza Lian – (download)

Por que baixar? “Nunca ouvi nada parecido: a voz suave e pontiaguda a um tempo se solta nos ritmos mais diversos: vai do blues ao xaxado passando pela rock, pelo bolero. E as músicas e os arranjos? Surpreendentes, novos, diferentes, ousados, livres. Luiza não é, nem nunca será, música de fundo. Ouvi-la significa parar e prestar atenção. Ela chama você a ouvi-la e a seguir seu percurso.” – Glória Kalil

5) “Transmutação”, BNegão e os Seletores de Frequência – (download)

Por que baixar? “‘TransmutAção’ não é cantarolável como o ótimo antecessor Sintoniza Lá (2012) – mas, por outro lado, recarrega o funk e o swing. Há menos energia despendida nas notas de guitarra e trompete, mas a impressão é que elas parecem surtir mais efeito (…) Por mais reflexivo, estranho ou musicalmente denso que ‘TransmutAção’ seja, é notável constatar que as mensagens são transmitidas com mais eficácia.” – Na Mira do Groove

6) “No Princípio Era o Verbo – Babylon by Gus, Vol. II”, Black Alien (2015) – (download)

Por que baixar? “O novo trabalho é bastante pop, ‘pra cima’ e reflete isso com certo clima de reminiscências (…) Mas, como na capa – onde peixes coloridos relembram o filme ‘O Selvagem de Motocicleta’, de Francis Ford Coppola, e dois Gustavos se duelam em uma partida de xadrez, em referência a ‘O Sétimo Selo’, de Ingmar Bergman, onde um cavalheiro joga com a morte -, o rapper projeta seu futuro ao refletir sobre a fase autodestrutiva pela qual passou.” – UOL

7) “Time is Monkey”, Mustache e os Apaches – (download)

Por que baixar? “O disco inteiro é pautado no tempo, nas relações entre presente, passado e futuro e no questionamento a respeito do que é que de bom vamos levar destes pequenos espaços de tempo puderam construir. É um disco para se ouvir com calma, várias vezes, e fazer com que as letras façam parte de você aos poucos. E mostra um novo caminho para os Mustaches: depois de dominar o mundo das ruas, é hora de dominar outros mundos.” – Tenho Mais Discos Que Amigos

 8) “Maravilhas da Vida Moderna”, Dingo Bells – (download)

Por que baixar? “Travestidas de alegres, por meio de uma sonoridade pop comum a bandas brasileiras dos anos 1970 e vocais leves que poderiam trazer boas notícias, as músicas (…) destacam certezas descontentes que surgem no processo de amadurecimento (…) Aos 27 anos, os integrantes do trio parecem ter uma visão negativa dos 30. Em suas canções, personagens são abandonados no altar, percene que não são especiais como pensavam e que o fim é inevitável.” – Folha de S. Paulo

9) “Conversas com Toshiro”, Rodrigo Campos – (download)

Por que baixar? “‘Conversas com Toshiro’ tem produção tão fantástica quanto a de seu antecessor e apresenta sonoridade que evoca – não por acaso – a trilha de um filme. A riqueza de timbres e dos arranjos valoriza o inédito cancioneiro autoral de Campos, saltando sobretudo aos ouvidos a orquestração majestosa de Toshiro reverso, feita com complexidade que evoca o som do maestro Moacir Santos (1926 – 2006).” – Blog Notas Musicais

 10) “Terceira Terra”, Supercordas – (download)

Por que baixar? “Em seu segundo disco, a banda consegue realmente trazer a psicodelia dos 1960, seja através do som ou pelas letras ainda mais viajadas, mas que dão o toque característico da banda. Supercordas não se resume somente no nome (referente à teoria física popularizada atualmente pelo personagem Sheldon da série ‘The Big Bang Theory’), mas também ao grande domínio que o grupo tem com instrumentos de corda. Se a vida aconteceu, que ela continue acontecendo para eles, pois de alguma forma toda essa inspiração tem que vir de algum lugar.” – Monkeybuzz

Compartilhe: