Conheça a história de mulheres que desenvolvem games no Brasil

Hoje é Dia Internacional da Mulher. Ao invés de dar flores e fazer textões machistas, por que você não reconhece as mulheres que fazem trabalhos marcantes? A igualdade ainda está distante, porque muitas ainda ganham 30% abaixo dos homens.

Gisa Ferreira, Carolina Porfírio, Ana Ribeiro e Thais Weiller são algumas representantes da cena de jogos no Brasil

Drops de Jogos fez uma breve seleção de mulheres que estão criando games no Brasil. Conheça os perfis e prestigie o trabalho delas.

1. Carolina Porfírio

Desenvolvedora de games e ilustradora, Carol mora em Santa Catarina e veio do Rio Grande do Sul. Famosa pela grife Fight Like a Girl, ela viu suas camisetas serem levadas até a ONU por evidenciarem a representatividade. Atualmente está criando o game Exodemon e abriu um Patreon para financiar coletivamente seu trabalho no estúdio Kuupu. Contribua.

2. Amora Bettany

Ilustradora e desenvolvedora da MiniBoss, ela criou games como Out There Somewhere (2012 e 2014), TowerFall Ascension (2014) e até um jogo da Turma da Mônica para o Cartoon Network (2013). Amora é uma mulher paulistana experiente no mercado, cujos trabalhos foram premiados em eventos como SBGames. Atualmente ela está criando Skytorn, que será lançado neste ano.

3. Thais Weiller

Fundador da JoyMasher, Thais participou de games retrôs como Oniken e Odallus e criou jogos como Rainy Day, sobre depressão. Atualmente, ela faz palestras sobre gestão de pessoas no desenvolvimento de jogos e participou da GDC 2017 como palestrante, representando o Brasil no maior evento de criação de games nos Estados Unidos. Ela foi eleita pelos editores do Drops de Jogos como desenvolvedora do ano em 2015.

4. Ana Ribeiro

Desenvolvedora pioneira na criação de jogos em realidade virtual no Brasil, Ana abandonou um emprego público no Maranhão para estudar programação e games no Reino Unido. Seu jogo, Pixel Ripped, foi eleito o título de 2014 no site Geração Gamer, quando era apenas uma demo.  Em 2015, Ana recebeu investimento de uma aceleradora americana chamada Boost e melhorou seu game dentro do Facebook, além de exibi-lo na E3, a maior feira de jogos. No ano seguinte, Ana Ribeiro carregou a tocha olímpica. Pixel Ripped chega completo em 2017, depois de ganhar prêmios dentro e fora das terras brasileiras. O Drops de Jogos fez um extenso perfil sobre Ana.

5. Gisa Ferreira

Criadora de jogos carioca, desenvolveu sozinha o game Silence in Space – Season One. Apostando em horror e aventura, o título traz gráficos retrô. Gisa postou o jogo no sistema Greenlight do Steam em 20 de dezembro do ano passado e ele foi aprovado pelo público em 22 de fevereiro de 2017.

6. Eliana Dib

Entre 2014 e 2015, Eliana se envolveu com o game DEBORAH, que foi desenvolvido na USP para ensinar história da contabilidade e recebeu reconhecimento do site Geração Gamer. Está no Black River Studio em Manaus, no norte do país.

7. Camila Slotfeldt

Financiada pela aceleradora GameFounders, Camila viajou para Estônia para desenvolver jogos com o estúdio BitCake. Ela conversou com a coluna Geração Gamer do TechTudo em 2014 e falou da criação de games com comunidade online.

8. Gabriela Thobias

Também ajudada pela GameFounders, Gabriela está na Malásia e participou da GDC nos Estados Unidos. Ela está criando o jogo Lila’s Tale, que será em realidade virtual com inspiração em The Legend of Zelda.

9. Bettina Calmon

Compositora de música de games do Rio de Janeiro, ela foi premiada no SBGames 2016. É uma presença feminina brasileira que também foi para a GDC 2017.

10. Marcela Versiani

Ilustradora e artista, Marcela é fã de Mass Effect e fez as artes fofas de Finding Monsters, premiado no SBGames na categoria de Melhor Arte. No Black River Studios de Manaus, ela criou o game que foi desenvolvido para realidade virtual. Atualmente Marcela Versiani mora em Hamburgo, na Alemanha, e é sênior concept artist da empresa Bigpoint Games, trabalhando nos personagens do game Farmerama.

11. Marcela Trujillo

Criadora da loja de games brasileiros Souking, Marcela não é desenvolvedora de jogos mas merece estar nesta lista. Desenvolveu seu negócio na faculdade e teve apoio da ADJogosRS, a maior associação de videogames da região sul do Brasil.

12. Karen Teixeira

Conhecida pelo apelido “bitmOO”, ela mora em Londres e é artista no Bossa Studios. Fez parte de empresas como 8D Digital e jogos como Merlin: The Game e Twelve.

13. Mariana Boucault

Integrante da Behavior como game designer, ela passou por Glu, Insolita, Level Up e Tapps. Passando por funções diferentes dentro das empresas, chegou a ser gerente de produto.

14. Tamyres Iracet

Trabalhou na empresa Aquiris, a maior do Rio Grande do Sul, e hoje é a artista por trás do projeto Alkimya, da Bad Minions. Foi eleita pelo Drops de Jogos desenvolvedora do ano de 2016.

A lista não elenca as melhores desenvolvedoras e nem faz juízo de valor sobre o trabalho de cada uma delas. O texto visa apenas divulgar seus trabalhos. Se estiverem faltando mulheres, é falha do autor do texto e da apuração de novos trabalhos no Brasil.

Feliz Dia da Mulher.

Conheça mais sobre a cena brasileira de games no Drops de Jogos.

Compartilhe:

Tags: #game
1 / 8
1
06:43
Após ser acusado de comunista, Dimenstein cobra provas de Hasselmann
A deputada federal Joice Hasselmann perdeu a calma nas redes sociais ao atacar o jornalista Gilberto Dimenstein, acusando-o de militante …
2
04:53
Netflix e KondZilla lançam ‘Sintonia’, da periferia para o mundo
KondZilla tem razão quando afirma: "A favela venceu". “Sintonia”, a nova série da Netflix, prova isso. A ideia original é dele …
3
04:21
Sinais que indicam problemas no estômago
Ter tosse seca pode ser um sinal que o seu estômago não vai muito bem. Hoje, o Dr. Raul Cutait, médico …
4
03:43
O estrago de Frota é maior que o Bolsonaro poderia acreditar
Após ser expulso do PSL, o deputado federal Alexandre Frota confirmou sua filiação ao PSDB, partido de João Doria, governador …
5
03:03
Câmara aprova projeto de lei sobre abuso de autoridade
A Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que define quais situações configuram abuso de autoridade. Agora, o texto …
6
04:07
Um pedido de desculpas à Angela Merkel pelas ofensas de Bolsonaro
Depois de dizer a um repórter que ele deveria fazer cocô dia sim, dia não para preservar o meio ambiente, …
7
03:26
Mortes provocadas pelo fim dos radares deveriam ter nome de Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro determinou nesta quinta-feira, 15, a suspensão dos radares de fiscalização de velocidade móveis em rodovias federais …
8
04:56
‘Risk’, na Netflix, vaza a imagem não autorizada de Julian Assange
Será que, em um ato de coragem, você arriscaria sua própria liberdade para trazer à tona realidades que manipulam a …