Últimas notícias:

Loading...

Arte viva! Mural ecológico em SP ganha versão noturna com projeções animadas

Feito com tinta que limpa o ar, painel da Converse, criadora do All Star, tem sua mensagem reforçada com novas cores, formas e movimentos

Por: Publi
Ouça este conteúdo

Para provar que arte e sustentabilidade caminham de mãos dadas, o projeto Converse City Forests deu um presentão para São Paulo e várias outras cidades do planeta: uma série de painéis pintados com tinta fotocatalítica, capaz de converter poluentes da atmosfera em nitratos inofensivos e limpar o ar que respiramos!

E agora, na nova fase da iniciativa, chamada de “City Nights”, os murais ecológicos da Converse, criadora do famoso modelo de tênis All Star, ganharam uma impressionante versão noturna com projeções animadas. A ideia é reforçar as mensagens contidas em cada uma dessas obras de arte urbana.



Converse City Forests
Crédito: Converse City ForestsMural da Converse no Minhocão ganhou vida com essas projeções animadas impressionantes

Em São Paulo, novas cores e formas foram projetadas para dar movimento ao graffiti feito pelo multiartista curitibano Rimon Guimarães, com a ajuda de Lya Nazura, uma das grandes representantes do afrofuturismo nas artes plásticas.

A obra, que leva o nome de “Pindorama”, colore a parede de um prédio no Minhocão, na região central da cidade, e é inspirada em referências e pesquisas sobre os povos originários brasileiros e o imaginário indígena como indivíduo.

Já as projeções mapeadas foram criadas pelo Studio Curva e animaram o mural nas noites entre 28 de novembro e 5 de dezembro. No entanto, você ainda pode conferir o resultado dessa intervenção urbana nas redes sociais da Converse. Olha que incrível:

A versão noturna do mural destaca todos os elementos representados na arte de Rimon e tem a missão de conscientizar a população sobre a forma como o ser humano se relaciona atualmente com o meio ambiente.

O fogo que aparece sobre a pintura, por exemplo, é uma crítica às queimadas que têm devastado importantes biomas brasileiros, como o cerrado e a floresta amazônica, nos últimos anos e representam um impacto incalculável para os povos indígenas.

Converse City Forests
Crédito: Converse City ForestsNa projeção animada, o mural de Rimon pega fogo para simbolizar as queimadas que têm devastado os biomas brasileiros

O mural retrata o pássaro e a onça pintada, dois animais simbólicos para povos originários como a etnia Menihaku, que cultua a entidade Kianumaka-Maná, uma deusa-onça.

Confira outros detalhes da projeção:

A personagem assexuada que aparece na obra e ostenta uma vestimenta ritualística feminina remete ao povo Jurupixuna e foi registrada no século 18 por Alexandre R.F. em suas expedições. Já a face com a máscara é um apanhado do estilo de Rimon inspirado por pinturas faciais Kayapó e Xikrin.

Outros elementos do graffiti representam a flora e a fauna brasileiras e os quatro elementos – terra, fogo, água e ar.

Cidade mais bonita, ar mais puro!

O mural ecológico pintado em São Paulo equivale, sozinho, ao plantio de 750 árvores, graças a sua capacidade de tirar poluentes do o ar que respiramos.

A inciativa Converse City Forests não para por aqui. Até o final de 2020, a marca terá pintado 14 mil metros quadrados de artes urbanas: o que corresponde a 40 mil árvores!

Até agora, já estão prontos murais em Bangkok (Tailândia), Varsóvia (Polônia), Belgrado (Sérvia), Santiago (Chile), Sydney (Austrália), Lima (Peru), Joanesburgo (África do Sul), Manila (Filipinas), Cidade do México (México) e Ho Chi Minh (Vietnã).

Para acompanhar os próximos passos da iniciativa, acesse este link aqui.