Hackers usam bateria do celular para saber que sites você visita

Por: Redação | Comunicar erro

Nunca subestime a capacidade dos hackers. Os pesquisadores de segurança na internet Steve Engelhard e Arvind Narayanan, da Universidade de Stanford, descobriram um método usado para saber onde você anda navegando pelo status da bateria de seu celular.

Segundo os cientistas, hackers teriam encontrado uma maneira de utilizar a bateria de seus eletrônicos portáteis como uma forma de monitorar seus passos na internet. Para piorar, não há como usar softwares de proteção, como antivírus, antispywares ou qualquer ferramenta de limpeza, para impedir que isso aconteça.

O método tira proveito de uma API chamada HTML5 Battery Status, que analisa a carga de seu dispositivo e permite a um servidor saber se seu site deve carregar uma versão mais econômica de sua página, caso a energia restante seja pouca. Com a ajuda dessa ferramenta, eles conseguem coletar de seu dispositivo uma informação precisa da energia de seu aparelho, bem como o tempo restante de uso até que ele desligue.

Bateria_celular
Criminosos conseguem saber seus passos na rede pelo quanto o seu celular consome de bateria.

Esses dados podem ser utilizados como uma identificação quase única de seu aparelho, graças às 14 milhões de combinações dos níveis de bateria e tempo restante de uso, permitindo que hackers rastreiem todos os sites que você visita, por exemplo.

O método é tão eficiente, vale notar, que hackers seriam capazes de identificar dois sites diferentes acessados pelo seu aparelho mesmo se um for aberto normalmente no navegador, enquanto o outro é aberto em outro browser, por uma aba anônima e com um software VPN. E as informações ficam ainda mais precisar para cada segundo que você utiliza o eletrônico.

A parte mais complicada desse novo método, como comentamos anteriormente, é que você não tem uma maneira de impedí-lo por softwares ou outras ferramentas. A única maneira de impedir que isso aconteça, no fim das contas, é conectar seu dispositivo à tomada ou desativar a ferramenta – o que é possível de fazer apenas no Firefox.

Veja mais informações no site do Tecmundo.

Compartilhe:

1 / 8
1
06:43
Após ser acusado de comunista, Dimenstein cobra provas de Hasselmann
A deputada federal Joice Hasselmann perdeu a calma nas redes sociais ao atacar o jornalista Gilberto Dimenstein, acusando-o de militante …
2
04:53
Netflix e KondZilla lançam ‘Sintonia’, da periferia para o mundo
KondZilla tem razão quando afirma: "A favela venceu". “Sintonia”, a nova série da Netflix, prova isso. A ideia original é dele …
3
04:21
Sinais que indicam problemas no estômago
Ter tosse seca pode ser um sinal que o seu estômago não vai muito bem. Hoje, o Dr. Raul Cutait, médico …
4
03:43
O estrago de Frota é maior que o Bolsonaro poderia acreditar
Após ser expulso do PSL, o deputado federal Alexandre Frota confirmou sua filiação ao PSDB, partido de João Doria, governador …
5
03:03
Câmara aprova projeto de lei sobre abuso de autoridade
A Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que define quais situações configuram abuso de autoridade. Agora, o texto …
6
04:07
Um pedido de desculpas à Angela Merkel pelas ofensas de Bolsonaro
Depois de dizer a um repórter que ele deveria fazer cocô dia sim, dia não para preservar o meio ambiente, …
7
03:26
Mortes provocadas pelo fim dos radares deveriam ter nome de Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro determinou nesta quinta-feira, 15, a suspensão dos radares de fiscalização de velocidade móveis em rodovias federais …
8
04:56
‘Risk’, na Netflix, vaza a imagem não autorizada de Julian Assange
Será que, em um ato de coragem, você arriscaria sua própria liberdade para trazer à tona realidades que manipulam a …