O dia em que Tom Jobim pediu socorro a Chico Buarque

Por: Redação

O Instituto Moreira Salles tem um acervo especial de Literatura composto por milhares de cartas de personalidades brasileiras e figuras ligadas ao Brasil, como Vinicius de Moraes, Clarice Lispector, Dom Pedro I, Noel Rosa e Manuel Graña Etcheverry.

Parte desse rico material está disponível no site Correio IMS, sob autorização dos respectivos titulares dos direitos de imagem e/ou de autor de cada carta reproduzida.

Ao navegar pela plataforma é possível encontrar registros históricos e também inusitados, como o pedido de ajuda feito por Tom Jobim a Chico Buarque em 1968. Veja a seguir:

“Na histórica edição do III Festival Internacional da Canção, realizado em 29 de setembro de 1968, a canção favorita do público era Pra não dizer que não falei das flores, de Geraldo Vandré. A vencedora, no entanto, foi Sabiá, que tem letra de Chico Buarque e música de Tom Jobim. Como Chico estava em Veneza, Tom recebeu sozinho a vaia no final da fase brasileira, e em seguida telegrafou ao parceiro reivindicando sua presença. Chico atendeu o pedido e recebeu, ao lado de Tom, a vaia na grande final da fase internacional.

Leia a breve a carta:

Rio de Janeiro, 5 de outubro de 1968

Venha urgente. Presença imprescindível. Temos que estar juntos. Preciso de você.

Tom Jobim

Nota: Telegrama que o Tom me mandou quando tomou (sozinho) a vaia do Sabiá

“Achados”. Organização de Caique Botkay. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2002, p. 51.

No vídeo abaixo, você confere a apresentação (acompanhada de vaias) da canção “Sabiá” na grande final da fase internacional, quando Tom e Chico sobem juntos ao palco:

Para conferir mais cartas, basta acessar www.correioims.com.br.

Compartilhe: