Folha descobre os traumas psicológicos do atirador de Suzano

Por: Gilberto Dimenstein

A vida de Guilherme Taucci Monteiro, 17 anos, um dos autores do massacre de Suzano (SP), foi marcada pela obsessão por videogames, pelo abandono dos pais e pelo bullying que sofreu na mesma escola onde ocorreu a tragédia.

Fruto de um relacionamento breve, Guilherme foi criado pelos avós no mesmo bairro onde fica a escola e morava o outro autor da tragédia, o amigo Luiz Henrique de Castro, 25.

Suzano
Crédito: Reprodução/FacebookGuilherme momentos antes de realizar atentado que matou 8 pessoas em Suzano (SP)

“O pai e a mãe não estavam muito aí pra ele, sabe?”, diz o avô.

De acordo com a Folha, a mãe de Guilherme luta contra a dependência química há anos.

Segundo ela, Guilherme abandonou a escola no ano passado porque dizia não aguentar mais ser “zoado por causa das espinhas do rosto”.

A família diz nunca ter desconfiado de que Guilherme pudesse ter algum tipo de comportamento violento.

“A única coisa é que ele era pirado nesse bagulho de jogo de computador. Ele ficava paranoico e gritava para a tela: vou te matar, vou te matar!”, diz a mãe sobre a obsessão do filho por games.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.