Época: Musicais podem ser o mais prejudicado com nova Lei Rouanet

Por: Gilberto Dimenstein

Um levantamento feito pela revista “Época” revela que espetáculos musicais devem ser os mais prejudicados com as novas regras de captação de recursos via Lei Rouanet.

Dos 185 projetos de teatro musical apresentados em 2018 ao Ministério da Cultura, 123 deles (66%) pediram um financiamento maior que R$ 1 milhão -o valor máximo estipulado pelo governo Bolsonaro.

Lei Rouanet
Crédito: Caio Gallucci/DivulgaçãoCena de “Bem Sertanejo” , espetáculo que obteve maior financiamento da Lei Rouanet em 2018

Os produtores e diretores ouvidos pela “Época” dizem que “o valor é ínfimo diante dos gastos de produção de grandes espetáculos”.

O levantamento revela ainda que quase todos os espetáculos — 92% — eram de São Paulo ou Rio de Janeiro. “Para especialistas, no entanto, as novas regras da legislação não devem diminuir a concentração do financiamento. Podem, na verdade, inviabilizar novas produções e estacionar um mercado que estava em expansão no país”, diz a reportagem.

A jornalista Bárbara Libório conta ainda que “apenas nove dos 42 espetáculos que conseguiram captar algum valor pela Lei Rouanet no ano captaram mais de R$ 1 milhão”.

O maior financiamento foi para o musical ‘Bem Sertanejo’, produção estrelada pelo cantor Michel Teló, que conta a história da música sertaneja.

Os dados foram obtidos pela “Época” no Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura.

Compartilhe: