‘Pode espernear à vontade’, diz ministro do STF sobre críticas

Por: Gilberto Dimenstein

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes rebateu críticas direcionadas ao inquérito que apura as Fake News e agressões contra a Corte, afirmando que os críticos “podem espernear à vontade”. Ele é o responsável pela investigação.

Após a abertura do inquérito, anunciada semana passada pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli, o Supremo foi alvo de manifestações contrárias à investigação, entre outras razões pelo fato de ela ter sido instaurada sem a participação do Ministério Público, por exemplo, ou por ser muito ampla, sem um objeto claro.

Alexandre de Moraes
Crédito: Nelson Jr./STFMinistro do STF Alexandre de Moraes

“No direito nós chamamos isso de jus esperniandi. Pode espernear à vontade, pode criticar à vontade”, afirmou Moraes, que informou já ter mobilizado a PF (Polícia Federal) e as polícias Militar e Civil de São Paulo para auxiliarem nas investigações.

O ministro confirmou que deve determinar diligências de ofício, isto é, por conta própria e sempre que julgar necessário, sem a necessidade de manifestação de qualquer outra instituição

Uma das frentes de investigação irá se debruçar sobre as fontes de financiamento a redes de bots (robôs virtuais) criadas no Twitter e no WhatsApp para disseminar mensagens de ataque ao STF e a seus ministros.

“Há fortes suspeitas de que os grupos de financiamento maiores são de São Paulo”, disse o ministro.

Compartilhe: