Prisões hoje aumentam pressão contra Sesc, Senai, Senac e Sebrae

Por: Gilberto Dimenstein

Já está em avançada discussão no governo Bolsonaro cortes do chamado Sistema S – uma poderosa rede de atendimentos profissionais e culturais que envolve uma rede como Senac, Sesi, Senai e Sesc.

É uma arrecadação de R$ 16 bilhões por ano.

A prisão hoje do presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Braga, serve para aumentar a pressão nesse sistema, acusado pelo governo de desperdícios de desvios com dinheiro público.

A operação abala a capacidade de reagir aos cortes do Sistema S: fala-se, na equipe econômica, de um corte de até 40%.

A Polícia Federal deflagrou hoje a Operação Fantoche para contra uma suposta “organização criminosa voltada para a prática de crimes contra a administração pública, fraudes licitatórias, associação criminosa e lavagem de ativos”

Além do presidente da CNI (Confederação Nacional das Indústrias), Robson Andrade, foi presos o presidentea da Fiepe (Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco), Ricardo Essinger.
Foram emitidos mais oito mandados de prisão temporária e buscas em PE, MG, SP, PB, DF, MS e AL.

Foco da investigação, segundo a Folha:: “empresas de fachada, sob o controle de uma mesma família, que teria desviado recursos provenientes de contratos e convênios fechados diretamente com o Ministério do Turismo e entidades do Sistema S.:

O grupo teria recebido mais de R$ 400 milhões.

O dinheiro envolvia publicidade e eventos culturais e de publicidade superfaturados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Por: Gilberto Dimenstein

Jornalista, educador e fundador da Catraca Livre.