Rodízio de mulheres ao lado de Brasília vira caso de polícia

 

Nunca se tinha visto esse tipo de exploração do corpo feminino: rodízio de mulheres.

A pessoa pagaria um único valor (  R$ 300 ) e teria acesso a tantas mulheres quisesse.

Nome do projeto: Open Xeca.

O evento foi divulgado na internet e provocou furor nas redes sociais.

A mensagem publicitária:  “Uma noite inesquecível para você se deliciar o quanto conseguir. Vai encarar?”

Local: Águas Lindas de Goiás, a 66 km de distância de Brasília.

Mas a experiência  acabou mal para seu promotor.

Ítalo Gomes Machado, de 37 anos, vai responder pelo crime de exploração sexual.

O “rodízio”  foi suspense algumas horas antes de começar – todos os ingressos estavam vendidos.

Compartilhe: