Veja documento que fez ministro do STF censurar revista

Por: Gilberto Dimenstein

O “Estadão” teve acesso ao documento em que Marcelo Odebrecht revela que o codinome “Amigo do amigo do meu pai” se refere ao presidente do STF, ministro Dias Toffoli.

O documento com o trecho da delação do empresário enviado à força-tarefa da Lava-Jato foi divulgado pela revista digital “Crusoé, que depois virou alvo de censura.

Marcelo Odebrecht
Crédito: Reprodução/Estadão 

De acordo com Estadão, a explicação de Marcelo Odebrecht  se refere a um e-mail de 13 de julho de 2007, quando o ministro ocupava o cargo de Advogado-Geral da União no governo Lula.

No e-mail, segundo o documento, Marcelo pergunta a dois executivos da Odebrecht: “Afinal vocês fecharam com o amigo do amigo de meu pai?”.

No entanto, não há, no documento enviado pelos advogados do empreiteiro à PF, citações sobre possíveis pagamentos de propina ao ministro.