Publicidade

Entreter

Coco Bambu lança pratos com camarão por preços mais acessíveis

Preços consultados em 11/08/2017 e sujeitos a alteração

Por: Redação | Comunicar erro
...
Publicidade

O Coco Bambu, restaurante especializado em receitas com camarão, anunciou uma novidade no cardápio das unidades em São Paulo que vai agradar quem gosta comer fora sem gastar muito: pratos com o ingrediente queridinho da casa, em tamanhos menores, por preços mais acessíveis.

O Camarão Praia de Boa Viagem leva camarões refogados sobre espaguete ao molho bechamel e espinafre

As receitas incluem a entrada Camarão Recife, para compartilhar, que leva camarões inteiros marinados na cerveja, fritos e refogados com cebola e alho, por R$ 49,90. No entanto, os valores mais acessíveis são dos pratos principais: quatro novidades que servem duas pessoas por R$ 79,90. Ou seja, R$ 40 para cada um por um prato com camarão.

Entre eles, está o Camarão Praia de Boa Viagem (camarões flambados no vinho branco, sobre espaguete ao molho bechamel e espinafre, gratinado com queijo mussarela e parmesão); o Camarão Praia de Itamaracá (arroz à grega com camarões à milanesa e molho de tomate fresco, gratinado com queijo mussarela); o Camarão Praia de Olinda (camarões refogados sobre cremoso arroz de manjericão e molho branco, gratinado com queijo mussarela); e o Camarão Praia de Tamandaré (espaguete com molho de tomate fresco, tomate seco, rúcula e camarões).

Os preços desses pratos ainda caem para R$ 59,90 de segunda a quinta, exceto na unidade da avenida Juscelino Kubitschek, na zona sul da cidade.

Veja aqui todos os endereços do restaurante em São Paulo.

https://catracalivre.com.br/geral/economize/indicacao/restaurante-vegano-proximo-paulista-tem-bufe-vontade-por-r10/

Compartilhe:

Publicidade
Publicidade

Museu de Anatomia Humana da USP exibe peças que ensina como o seu corpo funciona

Cereja Flor: O lugar das taças de sorvetes gigantes em São Paulo

Fondue taiwanês é a próxima delícia que você tem de provar

Médica tira dúvidas sobre anticoncepcional

Refugiados se tornaram microempreendedores em um lava-rápido em São Paulo

Publicidade