De olho no futuro: você sabe o que é previdência privada?

Catraca Livre tira algumas de suas dúvidas sobre essa forma de investimento. Bora fazer seu pé de meia?

Muitas incertezas aparecem quando ouvimos falar da reforma da previdência social, defendida tão energicamente por políticos de todas as instâncias e partidos. Você sabia que existem outras formas de garantir uma renda mensal para quando você decidir que chegou a hora de parar de trabalhar? A previdência privada é uma dessas ferramentas.

A previdência privada é um tipo de investimento financeiro a longo prazo – não ligado ao sistema do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) -, no qual pode escolher um valor periódico para contribuir até a idade em que você deseja parar de trabalhar. Quando você atingir essa faixa etária, é possível resgatar esse investimento de uma só vez ou mensalmente – ao longo de um determinado número de anos.

O banco responsável por esse serviço cobra uma taxa em cima do valor investido e reaplica periodicamente seu dinheiro em outros investimentos para garantir que você tenha um rendimento maior ao final do prazo estabelecido. Por isso, no momento de contratar a previdência, a instituição financeira deve perguntar qual o seu perfil de investidor.

Além disso, em alguns planos desse tipo, é necessário fazer um investimento inicial, estipulado pela instituição financeira. Mas isso não é uma condição determinante.

Taxas e rendimentos

É possível resgatar o dinheiro investido antes do prazo preestabelecido, por isso, você precisa ficar atento(a) às regras definidas pelo banco antes de assinar o contrato. Nesse documento, também devem estar claramente explícitas as taxas cobradas pela instituição financeira – sobre cada contribuição, anual e no momento do resgate – e o sistema de cobrança de impostos – tabela progressiva ou regressiva.

A tabela progressiva de cobrança de impostos é mais vantajosa para quem quer receber o investimento no futuro em parcelas mensais; já a regressiva compensa mais para quem quer resgatar o dinheiro de uma só vez. Você também pode escolher se sua família continua recebendo mensalmente o dinheiro se você morrer.

Há basicamente dois tipos de planos de previdência: o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL), no qual é possível abater o valor pago do seu Imposto de Renda (IR), desde que represente até 12% de sua renda bruta anual; e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL), no qual o valor investido não é abatido do IR, porém, no final do investimento, o imposto é cobrado apenas sobre o rendimento total. Esta última opção é indicada para quem tem uma renda menor.

Quem pode contratar uma previdência privada?

A resposta é basicamente qualquer pessoa com uma conta bancária! Basta ter em mente que a previdência privada é um investimento a longo prazo, com regras rígidas para contribuição e resgate.

Inclusive, se você quiser garantir que seu/sua filho/filha tenha um dindim no futuro, pode começar a poupar dinheiro para ele/ela desde já. A previdência privada pode ser feita até para bebês recém-nascidos.

Poupança ou previdência privada

Está em dúvida sobre qual dessas duas formas é a melhor para fazer o seu pé de meia? Essa escolha depende muito da sua situação financeira e da sua forma de planejamento para o futuro. A poupança é um investimento com pouquíssimo rendimento (cerca de 4,5% a 5% ao ano, a depender da variação da Taxa Selic), no entanto, não tem impostos ou taxas bancárias e você pode sacar facilmente o dinheiro investido quando quiser.

Embora possa render bem mais do que a poupança (a depender do contrato estabelecido por você), a previdência privada está sujeita a taxas bancárias e sistemas de cobrança de impostos e não é tão simples retirar o dinheiro investido antes do prazo – o que pode ser uma grande vantagem para quem não consegue guardar dinheiro.

Decidiu pela previdência privada?

Quem regulamenta a previdência privada é a Superintendência de Seguros Privados (Susep), submetida ao Governo Federal. No site desse órgão, é possível consultar as instituições financeiras que estão autorizadas a oferecer a seus clientes essa forma de investimento. Lá também é possível tirar boa parte das suas dúvidas.

Além disso, a entidade também atende ao público pelo telefone 0800-021-8484, de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 17h.

Outra dica é visitar os sites de vários bancos que oferecem a previdência privada e usar a ferramenta digital deles para calcular as condições do investimento. Não se esqueça de escolher uma instituição financeira sólida no mercado – para garantir que ela continue existindo quando decidir parar de trabalhar.

Compartilhe: