Cinemark exibe 45 filmes nacionais com entrada a R$ 4

Informar

Procon divulga ‘lista suja’ de sites para evitar na Black Friday

Mais de 400 lojas de compra virtual estão vinculadas a reclamações e comércio ilegal

Por: Redação | Comunicar erro
Procon-SP Black Friday
Crédito: Reprodução/iStockProcon-SP divulga lista de sites duvidosos para compras na Black Friday

A Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo (Procon-SP) divulgou um ranking com 419 sites de compras reprovados pelos consumidores, duas semanas antes do início da campanha Black Friday, que começa dia 23 de novembro.

Das 419 empresas registradas no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) ou de Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), 252 estão com o endereço eletrônico fora do ar e 167 têm sites ativos, segundo o jornal “O Estado de S. Paulo”.

E não é só por esse motivo que os amantes da época de descontos mais badalada do ano devem ficar atentos! Para se ter uma ideia do esquema ilegal de compras na internet, 2.091 queixas foram feitas por consumidores durante a edição passada da Black Friday, em 2017.

Além disso, foram identificados casos em que o produto ou o serviço oferecido não estavam disponíveis no estoque da loja virtual.

Há também casos em que a loja mudou o preço do item quando o consumidor finalizou a compra.

Após feita a reclamação, teve consumidor que não recebeu uma resposta da empresa, e em outros casos, nem o Procon encontrou o site para fazer a reclamação.

Confira a lista completa no link

Coxinha de graça? ‘Tá tendo’ entrega na faixa em SP

Compartilhe: