Últimas notícias:

Loading...

10 dicas para ser aprovado nas melhores universidades dos EUA

Autoconhecimento, boa comunicação e liderança contam valiosos pontos no processo seletivo prestes a começar

Por: Redação

Com planos de estudar em uma universidade norte-americana?  Então é bom ficar atento e conferir o check-list para assegurar que está tudo organizado para a inscrição.

Ao contrário do Brasil, em que o acesso ao ensino superior é feito por meio de vestibular ou da nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), nos Estados Unidos o processo é bem mais complexo e leva em consideração o perfil do candidato, desempenho acadêmico e até trajetória de vida.

10 dicas para ser aprovado nas melhores universidades dos EUA
Crédito: Divulgação/Crimson Education 10 dicas para ser aprovado nas melhores universidades dos EUA

Graduada pela Universidade de Harvard, a especialista em admissões Laila Parada-Worby passou por esse processo. “Por ter um dos melhores ensinos superiores do mundo, com estrutura de primeira linha, professores renomados, flexibilidade acadêmica e projeção de carreira, as universidades dos EUA são concorridas e exigentes”, conta a gerente da consultoria educacional Crimson Education.

A porcentagem de aprovação das 50 faculdades americanas mais competitivas varia entre 4 e 17% e, com preparo e dedicação, é possível ser parte desse seleto grupo de estudantes. Harvard, por exemplo, teve a menor taxa de aceitação em toda a sua história em 2021, de apenas 3,43% dos aplicantes.

“Essas universidades buscam alunos que tenham mais potencial para aproveitar as oportunidades e se desenvolver ao máximo, então a avaliação é holística, leva em consideração não apenas o histórico escolar como também atividades extracurriculares que demonstrem um perfil de liderança, com boa comunicação e participação social”, analisa Laila.

10 dicas para ser aprovado nas melhores universidades dos EUA

1 – Utilize seu tempo livre para explorar seus interesses e paixões

Atividades extracurriculares demonstram características pessoais, motivações e engajamento. Voluntariado em projetos sociais, competições, pesquisas e esportes contam pontos valiosos. “Como a maioria dos candidatos têm um perfil acadêmico elevado e similar, as atividades extracurriculares podem ser determinantes para a aprovação ou reprovação, representando 30% do peso da avaliação”, diz Laila.

Com planos de estudar em uma universidade norte-americana?
Crédito: Divulgação/Crimson Education  Com planos de estudar em uma universidade norte-americana?

2 – Aprenda a falar e escrever sobre si mesmo

Autoconhecimento é fundamental para ter um bom desempenho nas redações e entrevistas, para que você consiga apresentar sua essência e interesses de forma genuína. Dica de ouro: em vez de apenas descrever méritos e conquistas, entenda quais experiências resultaram em aprendizados que melhor descrevem a sua personalidade, ambições e objetivos e exponha de forma clara.

3 – Seja líder e assuma o protagonismo nos projetos

Engajamento e liderança são duas características que as universidades competitivas esperam de seus alunos e podem ser um critério fundamental de desempate, já que grande parte dos candidatos das faculdades mais seletivas serão academicamente qualificados. Coordene iniciativas, seja pioneiro e tenha destaque.

4 – Aprimore o inglês

Aulas online e aplicativos gratuitos ajudam a dominar o idioma para que você alcance nível avançado ou fluente e esteja mais preparado para exames de proficiência como TOEFL, Duolingo English Test e IELTS — que avaliam gramática, interpretação de textos, expressão e compreensão oral.

5 – Construa bons relacionamentos com professores

Em busca de uma referência real do comportamento e do desempenho dos candidatos, as instituições americanas pedem uma carta de recomendação sincera de um educador. Seja merecedor de uma boa indicação: participe ativamente das aulas, seja voluntário em projetos, interaja em gincanas e feiras culturais e preze por uma boa reputação.

6 –  Faça simulados das provas padronizadas SAT e ACT

Essas provas avaliam os candidatos academicamente de forma igualitária em todo mundo. Com a pandemia e a impossibilidade de realização dos exames presencialmente, muitas universidades tornaram os testes opcionais, mas a proporção de aprovados em top schools que enviaram essas notas tem sido maior do que os que não o fizeram.

7 – Aprenda a organizar seu tempo

As 24 horas do dia rendem mais quando se tem uma boa gestão do tempo, com planejamento para estudo, vida social e descanso. Comece com uma lista com todas as tarefas que precisa realizar, defina prioridades e ordens que façam sentido e monte sua planilha personalizada.

8 – Tire ótimas notas no colégio

Quanto mais seletiva a universidade, maior a exigência em relação a médias de notas. Currículos internacionais como IB (International Baccalaureate), AP (Advanced Placement) e A-Levels (Advanced Levels) são muito valorizados e considerados avançados –por serem feitos integralmente em inglês e demonstrarem um maior desafio por parte do aluno.

9 – Conte com ajuda

Busque informações atualizadas na internet sobre as instituições e os processos seletivos, converse com quem fez o application recentemente e com especialistas da área. A Crimson Education é uma consultoria educacional que assessora estudantes na preparação e na candidatura para universidades, com uma rede de mais de 2.300 mentores oriundos das 30 melhores universidades do mundo.

10 – Prepare-se com antecedência

Quanto antes iniciar o planejamento e a preparação –idealmente desde o início do ensino médio– mais tempo você terá para ser estratégico nas escolhas, fortalecer o perfil, praticar simulados, redações e entrevistas e assim potencializar as suas chances de admissão em uma universidade americana de ponta.

Compartilhe:

?>